Meteorologia

  • 19 OUTUBRO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Médicos retiram 40 larvas que estavam comendo cabeça de criança

Um médico veterinário foi chamado para atender o caso que aconteceu em Praia Grande, no litoral de São Paulo

Médicos retiram 40 larvas que estavam comendo cabeça de criança
Notícias ao Minuto Brasil

11:45 - 10/10/19 por Notícias Ao Minuto Brasil

Brasil São Paulo

Uma menina de sete anos foi internada com uma lesão causada por parasitas na cabeça, no Hospital Irmã Dulce, em Praia Grande, no litoral de São Paulo, onde foram retiradas mais de 40 larvas do ferimento.

Segundo informações do site 'G1', a Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM) revelou que a menina deu entrada em uma UPA para tratar o caso e depois levada ao hospital, o Conselho Tutelar foi acionado e passou a investigar o caso.

O médico veterinário Fabiano Miranda, de 39 anos, foi chamado para acompanhar o caso, já que o tipo de larva que estava na cabeça da criança é mais comum ser encontrada em animais. 

"Ainda no UPA, tiraram mais de 40 'bernes' [larva]. Mas, ela precisava de uma transferência para atendimento especializado porque já haviam larvas mais profundas que continuavam comendo a cabeça. Então corri atrás disso, divulgando nas redes sociais para que ela fosse transferida ao Hospital Irmã Dulce", explicou Fabiano.

A doença é causada pelos ovos da mosca, que, quando depositados em ferimentos abertos na pele do animal ou do ser humano, se tornam rapidamente larvas. "Essa doença causa vários estragos, falando da parte veterinária", disse o veterinário.

Ainda para o site 'G1', o médico veterinário contou que após a criança reclamar de fortes dores de cabeça, a mãe encontrou os buracos. "Não foi negligência da mãe, em momento algum. Após ela notar o ferimento, levou ela rapidamente ao hospital. A primeira vez que vi fiquei desesperado, a criança chorava demais, porque o bicho se alimenta de carne e estava comendo a cabeça dela".

A SPDM afirmou não ter autorização para informar o estado de saúde da criança e os procedimentos médicos pelos quais está sendo submetida. Segundo o médico veterinário, o risco já está controlado e equipes médicas ainda estão retirando larvas, que já estão saindo mortas.

Campo obrigatório