Meteorologia

  • 03 ABRIL 2020
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Especialista sugere fechar todas áreas comuns dos condomínios

A entidade representa 35 mil condomínios no estado, onde moram e circulam cerca de 3,5 milhões de pessoas.

Especialista sugere fechar todas áreas comuns dos condomínios
Notícias ao Minuto Brasil

23:00 - 20/03/20 por Notícias ao Minuto Brasil

Brasil Condomínios

Uma medida radical para combater o novo coronavírus (Covid-19) é fechar todas as áreas comuns dos condomínios, ainda que desagrade a maioria dos moradores, principalmente as crianças. A sugestão é do vice-presidente do Sindicato da Habitação do Rio de Janeiro (Secovi Rio), Ronaldo Coelho Netto, e atinge piscinas, churrasqueiras, pista de caminhada, academia, parquinho. A entidade representa 35 mil condomínios no estado, onde moram e circulam cerca de 3,5 milhões de pessoas.

“O síndico tem o dever e a obrigação de vedar o uso das áreas comuns. Áreas de lazer, play, parquinho. Qualquer lugar de uso comum, tem que vedar, para evitar aglomeração. A gente sabe que isso, numa hora em que as pessoas estão em casa, fechadas, não é nada agradável, mas é o único meio de proteger a saúde de todos os condôminos. Não resta outra saída, a não ser radicalizar mesmo”, defendeu Ronaldo.

Além de praticamente interditar todas as áreas comuns, mesmo que para uma simples caminhada, o vice-presidente do Secovi Rio lembrou que outras medidas de segurança contra o possível contágio de Covid-19 podem ser adotadas.

“Tem várias outras medidas de prevenção e segurança, que são importantes lembrar numa hora dessa. Uma delas é usar o elevador com o menor número de pessoas possível ao mesmo tempo. Se chamou o elevador e já tem gente dentro, espera até poder ir sozinho”, disse.

Ronaldo defendeu ainda que é preciso racionalizar a força de trabalho no serviço de limpeza, dando ênfase à higienização de locais onde se toca mais, em vez de áreas comuns, como varrição de calçadas e de escadas.

“É preciso exigir que os funcionários façam uma limpeza muito mais frequente onde as pessoas tocam mais, como maçanetas, corrimãos, portas blindex, botões de elevador e a própria cabine do elevador. Nesta hora o síndico tem que saber o que é prioridade e mudar um pouco o funcionamento do prédio. Não lavar as escadas, por exemplo. Tem que limpar bem a mesa do porteiro, onde todo mundo passa, deixa coisas e encomendas. Tem que limpar ali várias vezes ao dia”, ressaltou.

Outra questão que deve ser revista, segundo o vice-presidente do Secovi Rio, é a política de entrega de mercadorias, atividade cada vez mais comum e que tende a crescer, com o isolamento dos moradores nos apartamentos.

“Muitos condomínios estão mudando o sistema dos entregadores, obrigando os moradores a descer e pegar a encomenda do lado de fora. Pelo menos a gente tem a esperança de saber que cada condômino está cuidando de si. Já o entregador a gente não sabe por onde ele passou, como ele veio, se de metrô ou de ônibus. Os entregadores saem e fazem entregas em vários lugares ao mesmo tempo e a gente não sabe que casas ele visitou”, disse.

Quanto às obrigatórias reuniões de condomínio, as chamadas assembleias gerais, que devem ocorrer no mínimo uma vez por ano, para aprovar as contas da gestão do síndico, estipular novos valores da taxa de condomínio e deliberar sobre outros assuntos importantes, Ronaldo considerou que, em tempos de coronavírus, pode existir uma flexibilização nas datas, adiando os prazos para os meses seguintes, quando a epidemia terá passado.

“Estamos vivendo um momento de força maior que não tem precedente. Aí o condomínio vai ter que se adaptar. O mandato do síndico continua válido e será prorrogado”, considerou Ronaldo.

Segundo ele, cada estado tem o seu próprio Secovi e os síndicos podem entrar em contato direto para tirar dúvidas sobre como proceder.

O endereço eletrônico do Secovi Rio é www.secovirio.com.br. O endereço do Secovi nacional, onde é possível identificar o sindicato de cada estado, pode ser acessado na página da entidade na internet.

Com informação: Agência Brasil

Campo obrigatório