Meteorologia

  • 26 NOVEMBRO 2020
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Lula critica Bolsonaro por rejeitar compra de vacina para população

Lula considerou a decisão do atual Presidente como "a maior irresponsabilidade" que já viu por parte de um chefe de Estado.

Lula critica Bolsonaro por rejeitar compra de vacina para população
Notícias ao Minuto Brasil

16:45 - 22/10/20 por Notícias ao Minuto Brasil

Brasil Compra vacina

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou hoje que o atual chefe de Estado, Jair Bolsonaro, tem direito a recusar receber uma vacina contra a covid-19, mas não pode negar isso à população brasileira. "Se Bolsonaro não acredita na eficácia da vacina, ele que não tome. Mas o papel de um Presidente da República é possibilitar que o povo tenha a vacina à sua disposição", escreveu o líder socialista numa publicação nas redes sociais.

A declaração de Lula surge depois de Bolsonaro ter dito, na quarta-feira, que o seu Governo não iria comprar a vacina Coronavac, contra a covid-19, desenvolvida pela empresa chinesa Sinovac, referindo-se também à decisão do Presidente de rejeitar a vacinação obrigatória no Brasil.

Bolsonaro vetou a vacina chinesa, uma das testadas no Brasil, alegando que o Governo não poderia comprometer-se a comprar uma vacina cuja eficácia e segurança não tenham sido previamente comprovadas pelo Ministério da Saúde ou certificadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Por outro lado, o Governo comprou 100 milhões de doses da vacina que está sendo desenvolvida pela Universidade de Oxford e pelo laboratório AstraZeneca.

A Coronavac é testada desde julho em São Paulo e em outros estados numa parceria da Sinovac com o Instituto Butantan, órgão ligado ao governo regional de São Paulo.

O governo paulista já comprou 60 milhões de doses da Coronavac e sempre defendeu que a vacina fosse distribuída pelo Governo central no Sistema Único de Saúde (SUS).

Se a vacina chinesa comprovar a sua eficácia, será também fabricada no Brasil, pelo Instituto Butantan.

"Se a sociedade, os partidos e os parlamentares, precisavam de um motivo para discutir o 'impeachment', Bolsonaro acaba de cometer um crime contra a nação ao dizer que não vai comprar a vacina e desrespeitar um instituto da seriedade do Butantan e toda a comunidade científica", acrescentou Lula, que considerou a decisão do atual Presidente como "a maior irresponsabilidade" que já viu por parte de um chefe de Estado.

Numa entrevista realizada na noite de quarta-feira, Bolsonaro deixou claro que o Governo não pretende comprar a vacina chinesa, mesmo que esta seja aprovada pela Anvisa, mostrando desconfiança devido "à sua origem".

Bolsonaro reiterou que o seu executivo não vai decretar a obrigação da vacinação a nível federal e criticou o governador de São Paulo, João Doria, por ter dito que poderia impor essa obrigação. "É uma decisão ditatorial", disse Bolsonaro.

O Brasil é o país lusófono mais afetado pela pandemia e um dos mais atingidos no mundo, ao contabilizar o segundo número de mortos (quase 5,3 milhões de casos e 155.403 óbitos), depois dos Estados Unidos.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 41,3 milhões de casos de infecção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Campo obrigatório