Meteorologia

  • 01 JUNHO 2020
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Escolas da rede pública seguem sem merendeiras em São Paulo

Pelo menos cinco instituições estão servindo bolachas no lanche dos alunos

Escolas da rede pública seguem 
sem merendeiras em São Paulo
Notícias ao Minuto Brasil

15:58 - 31/03/17 por Notícias Ao Minuto

Brasil Denúncia

Dois meses depois do início do ano letivo, em São Paulo, e alunos da rede pública recebem bolachas e suco em vez das refeições completas às quais teriam direito. O motivo é que o governo de Geraldo Alckmin (PSDB) ainda não conseguiu contratar merendeiras nos quadros das instituições de ensino estaduais.

A denúncia revela que crianças de pelo menos cinco escolas da Zona Leste da capital recebem lanches de pouco valor nutricional, quando deveriam estar consumindo arroz, feijão. São elas: Professor Alfredo Ashcar, no bairro de São Mateus, Dona Zalina Rolim, em Vila Matilde, Professora Adelaide Ferraz de Oliveira, na Vila Guilhermina, Professor Arthur Chagas Junior, em Sapopemba, e Francisco Mignone, no Jardim Iguatemi.

Todas as unidades informaram, à Folha de S. Paulo, que estão sem merendeiras porque o processo de licitação não foi concluído. A Secretaria Estadual da Educação respondeu que o pregão demorou mais do que o previsto porque um dos participantes entraram com recurso. O serviço de merenda será restabelecido, nas cinco escolas, em uma semana, pela empresa vencedora. Até lá, ainda conforme a secretaria, as crianças seguirão consumindo alimentos que não necessitam de preparo.

Leia também: Seca: 106 cidades da Bahia estão em estado de emergência

Campo obrigatório