'Quem vê minha despensa se assusta', diz educadora com salário atrasado

Marilza da Conceição Aparecida, de 79 anos, é uma dos 200 mil servidores que estão passando dificuldades financeiras por causa do atraso de salários

© Reprodução
Brasil no rio 08:04 - 16/07/17 POR Notícias Ao Minuto

"Estou conseguindo me alimentar porque uma amiga me emprestou R$ 200", desabafou a professora Marilza da Conceição Aparecida, de 79 anos, aposentada desde 1985. Ela é uma dos milhares de servidores que estão passando dificuldades financeiras por causa do atraso de pelo menos dois meses de salário no Rio de Janeiro.

PUB

Marilza, que trabalhou como professora de matemática e ciência em colégios estaduais da Baixada Fluminense, era uma das pessoas que estavam à espera de uma cesta básica ao redor de um prédio no Centro da cidade, na manhã desse sábado (15). Ela não conseguiu receber porque chegou tarde e as fichas já haviam terminado.

Para tentar sobreviver, ela tem apostado todas as fichas em outro dom: na própria voz. "Consigo tirar um dinherinho, quando me contratam para cantar em algum evento, mas até isso está se tornando difícil", contou, ao jornal O Globo, a aposentada, acrescentando que o trabalho como cantora foi fundamental para adquiria a casa própria. "A minha sorte é que moro em um apartamento próprio, que consegui comprar cantando, mas quem olha a minha despensa ou a geladeira até se assusta", disse.

+ Uerj tem vestibular neste domingo com a menor procura da história

A história se repete com a educadora social Dijacen Silva, de 57 anos. Afundada em dívidas, ela se sentiu aliviada quando conseguiu alguns quilos de alimento para sustentar a família. "Estamos enfrentando uma situação que nunca imaginei que fosse passar. Estamos há 22 meses passando por muitas dificuldades para receber. Agora, estou sem o meu salário de maio e junho. Quem consegui viver assim?", questionou.

Em nota, a Secretaria estadual de Fazenda e Planejamento (Sefaz) disse que efetuou, até o momento, o pagamento dos vencimentos do mês de referência maio para 262.146 servidores ativos, inativos e pensionistas, o que representa um total de R$ 1,147 bilhão líquido. Ainda com relação ao mês de maio, faltam receber 205.189 servidores ativos, inativos e pensionistas, em um total de R$ 453,7 milhões líquidos.

Já com relação ao mês de junho, faltam receber 216.127 servidores ativos, inativos e pensionistas, em um total de R$ 609,8 milhões líquidos. Não há previsão para os próximos pagamentos.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

X