Meteorologia

  • 04 JULHO 2020
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Mulher morre após fazer cirurgia plástica em clínica do Rio

Profissional que realizou o procedimento disse à vítima que era cirurgião plástico, mas está registrado no site do Cremerj como médico do trabalho

Mulher morre após fazer cirurgia plástica em clínica do Rio
Notícias ao Minuto Brasil

10:36 - 10/10/17 por Notícias Ao Minuto

Brasil Jacarepaguá

Alessandra Machado, de 35 anos, morreu durante uma cirurgia plástica em uma clínica, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. Segundo a família, o médico Mauricio Teixeira de Britto cobrou R$16 mil por três procedimentos: abdominoplastia, laqueadura e lipoaspiração. Ele se apresentou como cirurgião plástico, mas está registrado no site do Conselho Regional de Medicina (Cremerj) como médico do trabalho.

“Ele [o médico] demonstrou muita confiança, ele deu a inteira confiança. Ela confiou muito nele. Foi devastador, acabou com a nossa estrutura. A gente esperava receber ela em casa na sexta com vida, e nós recebemos ela com a morte, com o fim da vida dela, isso não é justo”, disse a irmã da vítima, Elena Machado, ao "G1".

No site do Conselho Regional de Medicina (Cremerj), o médico aparece registrado apenas como médico do trabalho. A família denunciou o caso à Polícia.

+ É possível tirar CNH gratuitamente em alguns Estados; veja como

Alessandra deixou marido e uma filha de 13 anos. Ela foi enterrada nesse domingo (8).

Ainda segundo parentes de Alessandra, o profissional disse ter todos os equipamentos necessários para a realização dos procedimentos, inclusive uma ambulância. No entanto, quando a vítima precisou de socorro, teve de recorrer ao plano de saúde e o estado dela já estava muito grave quando chegou ao hospital.

“Ele [o médico] não quis predispor, como ele dizia que tinha todo o suporte, na verdade não tinha nenhuma ambulância. E isso aí foi angustiando, angustiando, e foi quando ela teve a primeira parada cardio. Foram feitas todas as manobras e foi ai quando descobriram que não tinham as substâncias a qual seria necessário pra esse procedimento”, disse Vitor Hugo Andrade, primo de Alessandra.

Os responsáveis pela clínica não quiseram se pronunciar quando procurados pelo "Bom dia Rio".

Campo obrigatório