Meteorologia

  • 21 SETEMBRO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Motoristas de apps como Uber e 99 ameaçam greve após casos de morte

Uma paralisação está marcada para esta segunda (14) no Rio Grande do Sul, diz site

Motoristas de apps como Uber e 99 ameaçam greve após casos de morte
Notícias ao Minuto Brasil

08:34 - 13/01/19 por Notícias Ao Minuto

Brasil Segurança

Motoristas de aplicativos como Uber, 99, Cabify e outros estão cogitando fazer uma greve para pedir segurança após casos recentes envolvendo mortes cometidas por passageiros cadastrados nas plataformas que chamaram corridas.

Segundo reportagem do UOL Tecnologia, uma paralisação já está marcada para esta segunda-feira (14) no Rio Grande do Sul. A ideia é que motoristas não loguem no app e participem de ato em Porto Alegre com alguns trajetos a pontos estratégicos da cidade.

+ Registros de intolerância triplicaram em SP na última eleição

Outras também podem acontecer em diferentes cidades do país nas próximas semanas.

"Queremos evitar mortes de motoristas, não prejudicar passageiros. A ideia principal é chamar as plataformas para as responsabilidades deles quando colocam um assassino com ficha criminal no aplicativo. Não aceitamos isso. Queremos que conversem com a classe e façam ajustes para deixar a gente menos vulnerável", disse Joe Moraes, presidente da Associação Liga dos Motoristas de Aplicativos no Rio Grande do Sul, ao UOL. A Alma-RS diz contabilizar cinco mortes do tipo nos últimos seis meses no Estado.

A Uber disse ao UOL que está sempre estudando medidas para contribuir com a segurança de usuários e motoristas.

A 99 também lamentou "profundamente" qualquer caso de violência e diz colaborar com investigações: "Em relação à segurança, a 99 montou uma equipe especialmente dedicada, composta por mais de 70 pessoas incluindo ex-militares, engenheiros de dados e psicólogos. Esse trabalho, que também escuta e avalia as críticas e sugestões dos condutores, foi responsável pela redução em 82% dos incidentes na plataforma em 2018".

Por sua vez, a Cabify disse "reconhecer o direito da livre manifestação pacífica dos brasileiros" e apontou que não tem registro de nenhum latrocínio envolvendo motoristas parceiros na sua plataforma.

Campo obrigatório