Meteorologia

  • 17 SETEMBRO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Gêmeas que nasceram unidas pela cabeça voltam para casa, no Ceará

A família viajou para Fortaleza nesta sexta-feira (29) depois de uma epopeia que teve início em fevereiro do ano passado no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, da USP

Gêmeas que nasceram unidas pela cabeça voltam para casa, no Ceará
Notícias ao Minuto Brasil

21:33 - 29/03/19 por Folhapress

Brasil Família

RIBEIRÃO PRETO, SP (FOLHAPRESS) - Após um ano e um mês afastadas de casa, as gêmeas Maria Ysabelle e Maria Ysadora, de 2 anos e 8 meses, que nasceram unidas pela cabeça, deixaram Ribeirão Preto (a 313 km de São Paulo) e voltaram para o Ceará.

A família viajou para Fortaleza nesta sexta-feira (29) depois de uma epopeia que teve início em fevereiro do ano passado no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, da USP, quando foi feita a primeira das cinco cirurgias que resultaram na separação das duas.

+ Prisão na Grande BH é esvaziada após aumento de risco em barragem

A cirurgia final ocorreu em outubro, e desde então elas passaram por reabilitação que incluía terapia ocupacional, fisioterapia e fonoaudiologia, além de acompanhamento psicológico e médico.

Após terem recebido alta em 7 de dezembro, a família pretendia passar o Natal em Ribeirão Preto, com amigos que foram feitos na cidade, e voltar para o Ceará no dia 26.

Foi preciso, porém, adiar a ida devido à cicatrização de um procedimento de enxerto pelo qual uma das meninas passou. Ambas estão bem.

A família mora em Patacas, distrito de Aquiraz, na região metropolitana de Fortaleza, mas ficou durante todo o período de procedimentos cirúrgicos em Ribeirão.

No Ceará, as irmãs serão acompanhadas pelo neurologista Eduardo Jucá. Ele levou o caso ao hospital paulista e integrou a equipe responsável pelas cirurgias.

O caso de Maria Ysabelle e Maria Ysadora é único na história da medicina brasileira e envolveu, em sua última cirurgia, cerca de 40 profissionais na equipe médica. Entre eles estava o neurocirurgião americano James Goodrich, do Montefiore Medical Center, de Nova York, considerado um dos maiores especialistas do mundo no assunto.

Campo obrigatório