Meteorologia

  • 17 OUTUBRO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Novela escrita por brasileiro estreia como superprodução em Portugal

Além de Rui Vilhena, a novela conta com Lucélia Santos e Edwin Luisi, que protagonizaram juntos "A Escrava Isaura", em 1976

Novela escrita por brasileiro estreia como superprodução em Portugal
Notícias ao Minuto Brasil

20:00 - 18/09/19 por Folhapress

Cultura NOVELA-NA CORDA BAMBA

LISBOA, PORTUGAL (FOLHAPRESS) - Com uma trama ágil e cheia de reviravoltas, pontuada por intrigas familiares e muita ação, estreou em Portugal no último fim de semana "Na Corda Bamba", novela que vai chacoalhar o horário nobre lusitano. 

A missão de renovar o gênero - e de tentar recuperar a liderança para a emissora TVI - ficou com o brasileiro Rui Vilhena, autor de alguns dos maiores sucessos da teledramaturgia em Portugal nos últimos 15 anos. 

Para isso, a emissora liberou a criatividade (e também verba) para o autor. Além da contratação de um elenco de peso, com nomes conhecidos tanto no Brasil como em Portugal, a produção importou também seu diretor, o brasileiro Marcos Schechtman.

A história tem como trama central a vida do casal Lúcia e Pipo, que vive sob tensão de que alguém descubra que os filhos que eles dizem serem seus foram raptados ainda bebês. As tramas paralelas abordam temas atuais como abandono de animais, influenciadores digitais e, claro, romances para lá de complicados e mais questões familiares.

"É um primeiro capítulo que poderia estar na Netflix ou na HBO. Está no nível do que de melhor se faz na ficção internacional", diz o autor, que reconhece que conseguiu um nível de produção e de verba pouco comuns para produções em Portugal. 

"Na Corda Bamba" marca o retorno de Vilhena às produções portuguesas após uma temporada no Brasil trabalhando para a Rede Globo, onde foi o autor principal de "Boogie Oogie" (2014), além de ter colaborado em outras produções, como "Fina Estampa" (2011). 

Convidado a retornar à televisão portuguesa, ele diz ter aceitado com a condição de poder fazer algo diferente, com "potencial para revolucionar" o que se faz hoje no país europeu. "Se fosse para fazer a mesma coisa, eu preferia nem começar", diz o autor, que nasceu em Moçambique, cresceu no Brasil e começou a carreia em Portugal.

Um dos desafios de escrever telenovelas em 2019, diz Rui Vilhena, é conseguir renovar o gênero de uma forma que agrade a audiência fiel dos folhetins, mas que ainda tenha apelo para a geração que cresceu preferindo as séries. 

BRASIL

Com uma seleção de atores portugueses famosos, a produção conta ainda com reforço brasileiro de peso: Lucélia Santos e Edwin Luisi, que protagonizaram juntos "A Escrava Isaura", em 1976, quando formaram um dos pares românticos mais marcantes das telenovelas brasileiras. 

A dupla, que se mudou para uma temporada em Portugal apenas para participar da novela, ainda é reconhecida nas ruas do país, onde "A Escrava Isaura" foi um grande sucesso. 

"Portugal mudou muito. É um país cosmopolita, muito diferente de onde eu passava férias com meu filho Pedrinho quando ele era pequeno. Com tudo isso, com essa modernidade, essa geração mais nova não me conhece. Mas quem viu a novela é extremamente carinhoso comigo, em qualquer lugar. E ficam muito felizes quando eu falo que estou fazendo uma novela portuguesa", diz Lucélia. 

Na trama portuguesa, a atriz viverá uma milionária que vive uma grande tragédia familiar. O nome da personagem, Marília Montenegro, é uma homenagem às atrizes Marília Pêra e Fernanda Montenegro. 

Lucélia conta que foi muito bem acolhida pelos colegas portugueses. "O senso de humor, a pegada do dia a dia de estúdio é exatamente igual. Toda vez que eu viajei, inclusive na China, há sempre uma sensação de cumplicidade com a equipe nas gravações. Está todo mundo na mesma vibe", compara. 

Parte da equipe de escritores que auxilia o autor com a história da novela, a roteirista carioca Herica Marmo também destaca a integração entre brasileiros e portugueses nos bastidores. "Fui muito bem acolhida pela equipe, que é muito generosa. Acho que as experiências de brasileiros e portugueses tem se complementado muito bem", diz Herica. 

O também roteirista carioca Vinicius Dias, que está em Portugal desde 2017, diz que a experiência é enriquecedora. "Estar na equipe do Rui Vilhena é um privilégio muito grande. Ele é um autor que prima pela qualidade e nos estimula diariamente a pensar sempre fora da caixa, a surpreender o público", afirma. 

"Na Corda Bamba" tem ainda uma situação inusitada: uma atriz portuguesa interpretando uma personagem brasileira. Conhecida do público tupiniquim por participações em produções como "Boogie Oogie" e "Novo Mundo", Maria João Bastos interpreta a decoradora Olívia Galvão, que ostenta um sotaque brasileiro impecável.

MISSÃO

Após anos na liderança das audiências das telenovelas, a emissora TVI perdeu o posto para a concorrente SIC. "Na Corda Bamba" tem a missão de tentar recuperar a dianteira. 

A missão, no entanto, é difícil. Lançada na semana passada, a nova produção da concorrente, "Nazaré", tem batido recordes de audiência. Mesmo em sua reta final, a trama "Amar depois de Amar" foi sucessivamente derrotada na briga pelo horário nobre. 

A nova produção da TVI também é uma aposta para o mercado internacional. Outra novela da emissora, "Ouro Verde", está sendo exibida agora pela Band. 

Campo obrigatório