Meteorologia

  • 14 NOVEMBRO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

'Trocas de Rainhas' descreve jogos de poder durante o absolutismo

A narrativa descreve em detalhes a atroz ciranda de maquinações dessa nobreza decadente disposta a tudo

'Trocas de Rainhas' descreve jogos de poder durante o absolutismo
Notícias ao Minuto Brasil

09:15 - 16/08/18 por ALEXANDRE AGABITI FERNANDEZ, FOLHAPRESS

Cultura Filme

A trajetória de Marc Dugain -como romancista, roteirista e cineasta- reafirma constantemente seu interesse pela História. Em "Troca de Rainhas" Dugain adapta um romance de Chantal Thomas, que assina com ele o roteiro, sobre fatos pouco conhecidos envolvendo as cortes francesa e espanhola no início do século 18.

+ Pearl Jam lança pôster com Casa Branca em chamas e cadáver de Trump

O contexto é o que se seguiu aos 13 anos de guerra com a Espanha, que terminou quando a França instalou Felipe 5º, neto de Luis 14, no trono do país ibérico, e deixou os dois países exauridos. Em 1721, para consolidar a paz, Felipe d'Orléans, regente do futuro rei Luis 14, decide casá-lo com a infanta Anna Maria Victoria, filha de Felipe 5º. O noivo tinha 11 anos, e a noiva, apenas quatro.

Paralelamente, o regente casou a filha de 12 anos, Louise-Elizabeth d'Orléans, com Luis, príncipe de Astúrias, de 14, o primogênito de Felipe 5º. Condicionados por imperativos ditados pela geopolítica, esses casamentos forçados de crianças deixam claro o que elas significavam para os adultos: moeda de troca, simples peças no tabuleiro dos jogos de poder -apresentado como algo impregnado de cinismo e veleidade.

A narrativa descreve em detalhes a atroz ciranda de maquinações dessa nobreza decadente disposta a tudo, enquanto o Antigo Regime desce a ladeira de uma crise que desaguará na Revolução Francesa quase sete décadas depois. A primorosa reconstituição de época, com filmagens em locações e figurinos muito bem cuidados, é determinante para produzir uma experiência imersiva nesse universo. A fotografia tem o mesmo propósito, e o uso do claro-escuro realça o lado deletério dessa atmosfera, apesar da pompa.

A visada crítica de Dugain às vezes descamba na caricatura grotesca ao caracterizar alguns personagens, como Felipe 5º e o duque de Condé, jovem primeiro-ministro de Luis 14. Lambert Wison faz um monarca excessivo, aterrorizado por seu passado sanguinário a ponto de açoitar-se histericamente como penitência. O belga Thomas Mustin compõe um duque histriônico, um conspirador esfuziante, cujo humor está cheio de maneirismos, muito distante do verdadeiro conde, que era feio e caolho.

Apoiado no bom desempenho dos quatro atores que encarnam os dois casais reais, o filme tem o mérito esboçar um impiedoso retrato das duas cortes no início do ocaso do absolutismo.

TROCA DE RAINHAS (L'ÉCHANGE DES PRINCESSES)

PRODUÇÃO França, Bélgica, 2017

DIREÇÃO Marc Dugain

ELENCO Lambert Wilson, Olivier Gourmet, Anamaria Vartolomei, Juliane Lepoureau, Catherine Mouchet, Thomas Mustin, Kacey Mottet Klein, Igor Van Dessel

QUANDO Estreia nesta quinta (16)

CLASSIFICAÇÃO 2 anos

AVALIAÇÃO Bom

Campanha do Notícias ao Minuto dá iPhone X de R$ 7.799; participe

Campo obrigatório