Meteorologia

  • 16 DEZEMBRO 2018
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Fortaleza tenta se firmar como capital nacional da fotografia

Foi a capital do estado do Ceará que deu ao país o fotógrafo Chico Albuquerque e no qual Pierre Verger clicou belas imagens

Fortaleza tenta se firmar como capital nacional da fotografia
Notícias ao Minuto Brasil

10:24 - 07/12/18 por Folhapress

Cultura Ceará

O clima é mais informal do que uma vernissage de artes plásticas. A cerveja substitui a champanhe do ambiente das feiras de arte, e a caipirinha é de caju. Não há finger food sendo servida, mas sim dadinho de tapioca com pimenta e escondidinho de carne seca.

Os convidados vestem roupas de linho, vestidos, bermudas e sandálias. A sensação térmica é de 32o C às 23h, com um vento morno que vem do mar. 

Estamos no centro de cultura Dragão do Mar, em Fortaleza, na quarta (5) à noite. A cerimônia de abertura do festival de fotografia Solar acontece ao ar livre, e a impressão é de que todos são bem-vindos -não há listas de convidados. 

Mas poderia ter, já que estão presentes grandes nomes da fotografia brasileira, tanto quem fica atrás da câmera quanto quem fica ao redor.

+ 'Nasce uma Estrela' recebe cinco indicações ao Globo de Ouro

Entre um drinque e outro, esbarra-se em Maureen Basiliat, que tem uma sala dedicada à sua obra em uma exposição no evento; em Rubens Fernandes Junior, que também expõe sua coleção de cartões postais com imagens bizarras. E encontra-se com Diógenes Moura, curador da potente mostra "Terra em Transe", que reúne imagens das tragédias de Mariana, de Belo Monte, do incêndio do Museu Nacional e do "novo corpo trans", nas suas palavras.

Tudo isso não é por acaso. Capital do estado que deu ao país o fotógrafo Chico Albuquerque e no qual Pierre Verger clicou belas imagens, Fortaleza tenta se firmar como meca da fotografia no Brasil. Primeiro com a inauguração do Museu da Fotografia, em 2017, e, agora com a edição inaugural do Solar, que vai até domingo (9).

No Museu, uma linda caixa de concreto instalada no bairro de Varjota, de arquitetura minimalista e clean, está exposta a coleção de Paula e Silvio Frota, que conta com nomes absolutos da fotografia mundial (Henri Cartier-Bressan, Steve McCurry, Sebastião Salgado) e nacional (German Lorca, Nelson Non, Cristiano Mascaro). A entrada é gratuita.

A poucos quilômetros dali, o centro de cultura Dragão do Mar, que corta a antiga zona portuária do bairro de Iracema -agora uma praia badalada-, tem seus 14,5 mil m2 ocupados integralmente por exposições e discussões a respeito da imagem estática. Nas paredes e nos corredores, um quem é quem da fotografia no Brasil de hoje. 

Um dos marujos desta nova frente da fotografia é Tiago Santana, fotógrafo conhecido por seus cliques de festas populares do Nordeste e de romarias -e irmão do atual governador do estado, Camilo Santana (PT). Santana, o fotógrafo, afirma que o festival Solar "é fruto de décadas de um movimento em torno da fotografia no Ceará".

Segundo ele, a movimentação começou nos anos 1980, quando o Instituto Nacional da Fotografia (Infoto) criou semanas nacionais dedicadas à técnica, o que permitia que profissionais de diferentes regiões do país se encontrassem e trocassem informações em uma época pré-internet. 

Depois da extinção do Infoto, este papel foi ocupado pelos festivais dedicados à imagem, caso do Paraty em Foco, do Festival de Valongo, do Festival de Tiradentes e do de Paranapiacaba. Há cerca de 30 eventos do tipo hoje no país, espalhados durante todo o ano.

Santana afirma que "faltam políticas públicas definidas para a linguagem da fotografia", e esta é uma lacuna que seu festival tenta suprir, com o aporte direto de R$ 1,5 milhão via Secretaria de Estado da Cultura nesta primeira edição.

As mostras em cartaz no Dragão do Mar para o festival seguem abertas até março. Neste período, são esperadas 50 mil pessoas. "Não se pode fazer um festival de fotografia só para fotógrafos -não faz mais sentido fazer um festival só para fotógrafos", disse Santana, no discurso de abertura do evento.

Nos próximos anos, está prevista a inauguração de um Museu da Imagem e do Som em Fortaleza, fato que pode sedimentar de vez o lugar da cidade como centro de produção e discussão de imagens. Com informações da Folhapress. 

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório