Meteorologia

  • 17 SETEMBRO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Museu pede devolução de quadro roubado por nazistas

"Vaso de Flores", de Jan van Huysum, pertence aos Uffizi

Museu pede devolução de quadro roubado por nazistas
Notícias ao Minuto Brasil

11:32 - 03/01/19 por ANSA

Cultura Segunda Guerra

As Gallerie degli Uffizi, em Florença, na Itália, exigiram da Alemanha a restituição de um quadro do pintor holandês Jan van Huysum roubado por soldados nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.

+ Livro faz passeio gráfico pelas campanhas eleitorais de ontem e hoje

A pintura, chamada "Vaso de Flores", está sob poder de uma família alemã que, apesar dos recorrentes pedidos do Estado italiano, nunca aceitou restituí-la. "Por causa desse caso que atinge o patrimônio das Gallerie degli Uffizi, as feridas da Segunda Guerra Mundial e do terror nazista ainda não foram curadas", declarou, na última terça-feira (1º), o diretor do principal museu renascentista do mundo, Eike Schmidt, que é alemão.

O quadro é uma natureza morta em preto branco do início do século 19 e foi exibido pela primeira vez em 1824, em Florença. O "Vaso de Flores" ficou em uma sala do Palácio Pitti, também administrado pelos Uffizi, até a década de 1940, quando foi transferido para o campo após a entrada da Itália na Segunda Guerra.

Em 1943, ano da invasão dos Aliados na península, tropas nazistas roubaram o quadro e o levaram para o norte. A pintura reapareceu após a reunificação da Alemanha, mas a família que a detém exige pagamento para devolvê-la à Itália, hipótese rechaçada pelos Uffizi.

Para dar força a seu apelo, Schmidt instalou no museu uma foto do "Vaso de Flores" com a palavra "Roubado" em inglês, italiano e espanhol. Em entrevista à ANSA nesta quarta (2), o diretor dos Uffizi disse esperar uma resposta da Alemanha ainda para esta semana.

Ele também cobra de Berlim a abolição da prescrição para o crime de roubo de obras de arte durante a Segunda Guerra Mundial. "A Alemanha tem o dever moral de restituir esse quadro ao nosso museu", afirmara na última terça. (ANSA)

Campo obrigatório