Meteorologia

  • 23 JULHO 2019
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Carybé vai a Portugal com exposição 'Aquarelas do Descobrimento'

Mostra tem 52 obras do artista plástico brasileiro e é inspirada na Carta de Pero Vaz de Caminha

Carybé vai a Portugal com exposição 'Aquarelas do Descobrimento'
Notícias ao Minuto Brasil

10:32 - 08/03/19 por Notícias Ao Minuto

Cultura Além-mar

Entre 9 de março e 4 de maio, o Palácio da Independência, em Lisboa, vai receber a exposição “Carybé – Aquarelas do Descobrimento”. São 52 obras do artista plástico brasileiro, sobre a carta de Pero Vaz de Caminha, que conta à Coroa Portuguesa os descobrimentos feitos pela frota de Pedro Álvares Cabral. A exposição se inicia no mesmo dia em que o navegador deixou Lisboa para descobrir o Brasil em 1500. A entrada é gratuita.

As obras retratam a primeira impressão dos portugueses a avistarem as terras da Ilha de Vera Cruz. Esse é o primeiro nome das terras que, mais tarde, se chamariam Brasil por causa da abundância de pau-brasil. A árvore, inclusive, aparece na exposição.

“Carybé foi um exímio desenhista e aquarelista, arte aparentemente simples, mas que exige maestria técnica e não permite correções. Partindo do relato escrito por Caminha, usou sua imaginação e conhecimento, para transformá-lo em imagens, dando-nos a sensação de termos testemunhado os acontecimentos que há mais de cinco séculos deram origem ao Brasil”, afirmou Solange Bernabó, filha de Caybé e curadora da exposição.

“Carybé – Aquarelas do Descobrimento” tem o apoio da Embaixada brasileira em Lisboa, que ressalta a importância das obras para Portugal e Brasil.A vertente cultural é dos pilares mais importantes do relacionamento entre Brasil e Portugal. É a primeira vez que esta exposição sai do Brasil e o destino não poderia ser outro, que não Portugal. Temos a expectativa de que as obras, por sua delicadeza, beleza e sentido histórico, atraiam grande público para a exposição”, explicou o embaixador do Brasil, Luiz Alberto Figueiredo Machado.

Perfil

Carybé nasceu como Hector Julio Páride Bernabó, em Lanús, na Argentina em 1911. Passou a infância e a adolescência no Rio de Janeiro. Foi aos 8 anos, como escoteiro no Clube de Regatas Flamengo e membro da Patrulha dos Peixes, que surgiu a alcunha. Eles escolheu o nome para se tornar a feroz piranha Pygocentrus Cariba, a temida “Caribé Capa-burro” — ou Piranha Vermelha — das margens dos rios Orinoco e Amazonas.

Do Rio de Janeiro, Carybé viajou o mundo até mudar-se em definitivo para o Brasil em 1949. Naturalizou-se brasileiro oito anos depois e viveu em Salvador até a sua morte, em 1997. A relação do artista com o país que escolheu sempre esteve declarada na sua obra. Tanto nas diversas exposições que realizou pelo mundo, quanto em trabalhos que levavam a sua arte para o quotidiano das pessoas, como o mapa do Brasil personalizado que decorava os aviões Electra II, da Varig, nos anos 60, e os murais em fachadas de prédios comerciais de vários estados brasileiros. Carybé também ilustrou livros de autores importantes como Gabriel García Márquez, Pierre Verger e do seu grande amigo Jorge Amado. Com informações da assessoria de imprensa.

Serviço

CARYBÉ – AQUARELAS DO DESCOBRIMENTO EM LISBOA

Palácio da Independência

Endereço: Largo de São Domingos, 11, Rossio (Ao pé do Teatro Nacional Dona Maria II)

De 9 de março até o dia 4 de maio

Horários de funcionamento: De segunda a sexta-feira: das 9h às 19h – Sábado: das 11h às 21h.

Entrada gratuita

A exposição fica em cartaz de 9 de março até o dia 4 de maio

Campo obrigatório