Meteorologia

  • 19 JUNHO 2018
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Novo elétrico Jaguar I-Pace é mais silencioso que ventilador

O I-Pace deve chegar ao mercado nacional no terceiro trimestre deste ano. Custará por volta de R$ 400 mil

Novo elétrico Jaguar I-Pace é mais silencioso que ventilador
Notícias ao Minuto Brasil

09:39 - 09/06/18 por Eduardo Sodré, para Folhapress

Economia automotivo

EDUARDO SODRÉ  - Você sente saudade de enviar um telegrama? Trocaria a agilidade das ferramentas de comunicação do seu smartphone pelo envio de um texto urgente via Correios?A resposta óbvia para essas perguntas é não -a mesma que será dada no futuro quando alguém perguntar se o motorista de um carro elétrico gostaria de voltar a dirigir um modelo a gasolina.

Essa certeza veio ao testar o Jaguar I-Pace, um utilitário de luxo movido apenas por eletricidade. É um dos primeiros carros do tipo que conseguem rodar cerca de 400 quilômetros sem precisar de recarga - mais que o dobro do esperado para automóveis sem motor a combustão, que, até então, mal chegavam a 150 km.

O concorrente mais próximo em tecnologia é o Tesla Model X 75D, que também roda cerca de 400 quilômetros com uma carga completa. O carro foi apresentado ao público em março, no Salão de Genebra. É um modelo luxuoso de porte médio.

Fabricado em Graz, na Áustria, o Jaguar tem bateria de lítio com 432 células acomodadas no assoalho. É como se fossem 400 baterias de celular reunidas para armazenar e fornecer energia.A potência chega a 394 cv, equivalente à de um esportivo turbinado. E o I-Pace trabalha em silêncio. Um ventilador doméstico é mais barulhento que o utilitário. Há dois motores elétricos, um em cada eixo. A tração nas quatro rodas é controlada pelo cérebro eletrônico da Jaguar, que cuida da estabilidade e da distribuição de força.

Apesar de ter boa autonomia, a recarga completa em uma tomada comum leva cerca de 12 horas. O problema é contornado por carregadores de 100 kW, que permitem recuperar 80% da energia em até 40 minutos, segundo a Jaguar. Essa é a alternativa: postos com tomadas de recarga rápida permitirão que motoristas façam viagens longas. O teste começa na garagem do Hotel Conrad Algarve, em Portugal.

O marcador de energia indica que é possível rodar 355 quilômetros até a próxima recarga. É basicamente a mesma autonomia de um utilitário de luxo com motor a gasolina e tanque de 60 litros.Matt Skelton, chefe de produto da Jaguar Land Rover, explica que, para saber que o carro está ligado, basta observar se a palavra "ready" aparece no quadro de instrumentos. Ele lembra que a força está disponível a partir do zero, diferentemente dos carros a combustão, quando o motor precisa atingir uma determinada rotação para que todo o torque se manifeste.

+ STF aplica multa de R$ 506 milhões a 46 transportadoras

Segundo a Jaguar, o I-Pace vai de zero a 100 km/h em 4,8 segundos.Na prática, o I-Pace parte como uma besta-fera, mas sem urrar. O único ruído é artificial (com regulagem de volume) e lembra o som agudo das espaçonaves de desenho animado dos anos 1960.Não é recomendável cravar o pé no acelerador para colocar o Jaguar em movimento. A força imediata mencionada por Skelton embrulha o estômago. É como ser lançado do topo de uma montanha-russa.

Basta pisar um pouco mais fundo para ver a autonomia reduzir rapidamente, mas quilômetros extras são adicionados quando o motorista volta a privilegiar a regeneração de energia.Os freios também ajudam a recuperar as baterias: o sistema reduz a velocidade quando o motorista tira o pé do acelerador. Dá para dirigir usando apenas um pedal, uma experiência desagradável no início. É preciso rodar bastante para se acostumar ou então desligar esse sistema, sob pena de perder preciosos quilômetros.

Não há troca de marcha, é basicamente pra frente e pra trás, com comandos acionados por meio de dois botões.Após 130 km de estrada, o motorista esquece de que está em um carro elétrico. O marcador de autonomia indica ser possível rodar mais 200 km, a depender do ímpeto do piloto. Ao se desligar um pouco da tecnologia que coloca o carro em movimento, o condutor lembra que está em um Jaguar. Acabamento esmerado e fartura de equipamentos são padrão da marca. O desenho da carroceria se amolda às necessidades de um carro elétrico.

A base alongada -são 2,90 metros de distância entre-eixos- serve para acomodar o conjunto de baterias e os motores. O lado negativo disso está no banco traseiro: o assoalho elevado faz os joelhos dos ocupantes ficarem em posição elevada, um tanto desconfortável. O motorista pode checar a autonomia do carro por meio de um aplicativo para smartphones. Pontos de recarga são mapeados e indicados no GPS, tecnologia que não terá muito o que mostrar no Brasil, onde postos elétricos são escassos. O I-Pace deve chegar ao mercado nacional no terceiro trimestre deste ano. Custará por volta de R$ 400 mil. Com informações da Folhapress.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório