Meteorologia

  • 22 SETEMBRO 2018
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Vendas no varejo de combustíveis caem ante julho de 2017, diz IBGE

Os preços dos combustíveis registravam deflação em julho do ano passado

Vendas no varejo de combustíveis caem ante julho de 2017, diz IBGE
Notícias ao Minuto Brasil

14:53 - 13/09/18 por Estadao Conteudo

Economia alta nos preços

A alta nos preços explica a queda de 9,2% nas vendas do varejo de combustíveis em julho ante julho de 2017, segundo a gerente da Coordenação de Comércio e Serviços do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Isabella Nunes. Mais cedo, o órgão informou que as vendas do varejo restrito caíram 1,0% ante julho de 2017.

Conforme Isabella, os preços dos combustíveis registravam deflação em julho do ano passado. O quadro deste ano, diante da alta nas cotações do barril de petróleo e do dólar, foi diferente, com inflação no diesel e na gasolina - tanto que a elevação dos preços do diesel foi um dos estopins da greve dos caminhoneiros, lembrou a pesquisadora do IBGE.

Também contribuíram para a queda na comparação de 2018 com 2017 as vendas de móveis e eletrodomésticos, que recuaram 6,9%. Segundo Isabella, o movimento foi intensificado por causa da base de comparação elevada - lojas do ramo venderam mais em julho de 2017 por causa da demanda aquecida diante da liberação de recursos do FGTS, naquela ocasião.

O quadro foi de queda na média porque o desempenho das vendas nos supermercados não compensou a queda nos combustíveis. Houve alta de 1,4% nas vendas de supermercados em julho ante julho de 2017, mas esse avanço foi o menor do ano, segundo o IBGE. "Há perda de ritmo na alta das vendas em supermercados", disse Isabella.

Já a alta de 3,0% nas vendas do varejo ampliado ante julho de 2017 foi garantida pelo desempenho das lojas de carros. As vendas de veículos cresceram 16,9%, impulsionados pela melhoria nas condições de crédito.

"É uma atividade (a venda de carros) que está atrelada a condições de financiamento e houve melhora de condições de 2017 para 2018", afirmou Isabella. Com informações do Estadão Conteúdo.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório