Meteorologia

  • 15 DEZEMBRO 2018
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Dólar vai a R$ 4,09 e Bolsa cai mais de 1% com expectativa eleitoral

No exterior, o desempenho da moeda americana ante emergentes foi misto: de uma cesta de 24 divisas, ganhou força sobre a metade

Dólar vai a R$ 4,09 e Bolsa cai mais de 1% com expectativa eleitoral
Notícias ao Minuto Brasil

18:37 - 24/09/18 por Folhapress

Economia mercado financeiro

A volatilidade esperada para as duas últimas semanas antes da eleição se materializou nesta segunda-feira (24) com o retorno do dólar para mais próximo dos R$ 4,10 e a queda de mais de 1% da Bolsa brasileira.

O dólar, que chegou a cair pela manhã, avançou 0,98% e terminou o dia a R$ 4,0880. No exterior, o desempenho da moeda americana ante emergentes foi misto: de uma cesta de 24 divisas, o dólar ganhou força sobre a metade.

A disparada do dólar nesta segunda ocorre após a moeda americana ter acumulado perda de 2,86% na semana passada, um retrato dos dias de volatilidade que antecedem as eleições.

Nesta segunda, foi divulgada a pesquisa telefônica semanal de intenção de voto do BTG Pactual, que mostrava estabilidade de Jair Bolsonaro, com 33% da preferência dos eleitores, e o avanço de Fernando Haddad (PT), que saiu de 16% para 23%.

O instituto entrevistou 2 mil eleitores dos 27 estados com idade a partir de 16 anos nos dias 22 e 23 de setembro, por telefone. A margem de erro é de dois pontos percentuais, com intervalo de confiança de 95%, e a pesquisa foi registrada no TSE pelo protocolo BR-03861/2018.

+ Temer diz que tentará reforma da Previdência após eleições

"Não vi nenhum grande diferencial em relação às demais pesquisas apresentadas nos últimos dias", disse Roberto Indech, da Rico Corretora. Ele diz que o levantamento do site Poder360 já mostrava esse avanço de Haddad para acima de 20% da preferência dos eleitores.

Havia no mercado também a expectativa pelos números do Ibope, que seriam divulgados após o fechamento do mercado.

"Estamos a menos de 15 dias das eleições. Toda pesquisa é de extrema importância", argumentou a corretora Guide em relatório.

A Bolsa brasileira se moveu ancorada por motivos semelhantes nesta segunda. O Ibovespa, principal índice acionário do país, cedeu 1,83%, a 77.984 pontos após acumular alta expressiva na semana anterior e se reaproximar dos 80 mil pontos.

O índice foi afetado pelas ações de bancos, que registraram perdas acima de 2%.

A Petrobras terminou o dia em queda apesar da disparada dos preços do petróleo. Nesta segunda, o barril do brent avançou mais de 3% e fechou acima dos US$ 81 pela primeira vez em quatro anos. Internamente, a estatal decidiu reduzir o preço da gasolina nas refinarias, após o combustível atingir o maior preço em 10 anos, segundo cálculo feito pela reportagem com o desconto da inflação.

No exterior, o dia tampouco foi positivo para as Bolsas mundiais, que passaram por realização de lucros após terem renovado máximas históricas na semana passada. Por lá, pesa a escalada da disputa comercial entre Estados Unidos e China, com a entrada em vigor de novas tarifas sobre produtos negociados entre os dois países. O Dow Jones cedeu 0,68%, enquanto o S&P 500 caiu 0,35%. Com informações da Folhapress.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório