Meteorologia

  • 15 OUTUBRO 2018
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Com quase 19h, Singapore volta a operar voo mais longo do mundo

Para reduzir a tensão da viagem, avião tem um teto mais elevado que o habitual, janelas mais amplas e uma iluminação LED especial que altera as cores com o objetivo de reduzir o "jetlag"

Com quase 19h, Singapore volta a operar voo mais longo do mundo
Notícias ao Minuto Brasil

15:19 - 11/10/18 por Folhapress

Economia NEGÓCIOS

Iluminação especial, menos ruído, um menu saudável e uma configuração de cabine sem a classe econômica tradicional são as apostas da Singapore Airlines para preservar o bem-estar dos passageiros que ficarão quase um dia inteiro dentro de um avião.

Com 18 horas e 45 minutos de duração estimada -em boas condições meteorológicas-, o voo SQ22, que sai de Singapura nesta quinta-feira (11) às 23h35 locais (12h35 de Brasília), rumo a Newark, na região de Nova York, passa a ser o mais longo do mundo.

Ele será operado por um avião concebido especialmente para essa tarefa, o Airbus A350-900ULR (Ultra Long Range, ou ultra longo alcance).

Para reduzir a tensão da viagem, o avião tem um teto mais elevado que o habitual, janelas mais amplas e uma iluminação LED especial que altera as cores com o objetivo de reduzir o "jetlag".

+ Dia das Crianças: 39,7% do preço de um brinquedo são de impostos

Além disso, a cabine tem menor nível de ruído e melhor índice de umidade do ar em relação a outras aeronaves, o que ameniza o impacto do voo sobre os passageiros. No serviço de bordo, menos álcool e mais alimentos leves.

O feito de operar o voo mais longo do mundo não é novo para a Singapore, que já voou essa rota sem escalas entre 2004 e 2013 com um A340-500 adaptado, inicialmente com assentos em classe executiva e econômica, e depois somente executiva.

Os altos custos de combustível -o A340 tinha quatro motores e era menos eficiente que o A350, com dois motores- e a baixa procura pelo voo levaram a companhia asiática a desativar a rota em 2013.

Agora, ela volta à malha, em meio a melhorias tecnológicas tanto do lado da Airbus, com o A350ULR, quanto da Boeing, com o 787 Dreamliner. Este já é usado pela australiana Qantas na rota Perth-Londres, o terceiro voo mais longo do mundo, com 17 horas e 20 minutos.

O antes campeão agora desbancado é operado pela Qatar Airways entre Auckland (Nova Zelândia) e Doha, com um Boeing 777-200LR e duração de 17 horas e 58 minutos. Esse modelo, porém, é mais antigo frente ao 787 e o A350.

Para o voo desta quinta, o A350 da Singapore vai transportar 161 passageiros: 67 na classe executiva e 94 na econômica premium.

A tripulação, com 13 auxiliares de cabine, trabalhará em turnos para que todos tenham as quatro horas de descanso mínimo regulamentar, informou a Singapore, eleita neste ano a melhor companhia aérea do mundo pelo Skytrax, o "Oscar da aviação".

Dois pilotos e dois copilotos farão um rodízio no comando do avião durante os 16.700 km que separam Singapura e Newark.

O primeiro A350-900ULR foi entregue em setembro para a Singapore, que encomendou ao todo sete aeronaves desse modelo. Com informações da Folhapress.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório