Meteorologia

  • 20 OUTUBRO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Theresa May diz que Brexit está 'significativamente mais próximo'

Proposta elaborada por técnicos das duas partes será analisada por um conselho de ministros nesta quarta-feira (14)

Theresa May diz que Brexit está 'significativamente mais próximo'
Notícias ao Minuto Brasil

16:08 - 14/11/18 por Ansa

Economia Acordo

A primeira-ministra britânica, Theresa May, afirmou nesta quarta-feira (14) que o Reino Unido está "significativamente mais perto" da aprovação do acordo sobre o Brexit. A proposta elaborada por técnicos das duas partes será analisada por um conselho de ministros nesta quarta-feira (14).

A chefe de Estado afirmou, em pronunciamento na Casa dos Comuns, o Parlamento britânico, que o entendimento "dará de volta aos britânicos o controle sobre suas fronteiras, leis e dinheiro", além de proteger negócios e empregos locais.

O líder da oposição, Jeremy Corbyn, criticou o acordo, dizendo que o Reino Unido ficará estagnado com um Parlamento dividido, sem um posicionamento coeso sobre as regras. Ele disse que a primeira-ministra está propondo uma falsa escolha aos congressistas, entre "um mau acordo e um não acordo".

Em resposta, May disse que o objetivo do Partido Trabalhista, do qual Corbyn faz parte, é "frustrar o Brexit e trair o voto os cidadãos britânicos".

+ Cuba cancela parceria com Brasil no Mais Médicos; Bolsonaro é o motivo

Acordo

As negociações do Brexit são regidas por um princípio chamado "backstop", que garante que, se não houver acordo, a fronteira entre as Irlandas permanecerá inexistente. Neste caso, a Irlanda do Norte continuaria no mercado comum e na união alfandegária e ficaria submetida as regras diferentes do restante do Reino Unido. No entanto, tanto a Irlanda quanto a Irlanda do Norte querem a manutenção de fronteiras abertas, mas isso pode acabar criando uma região com status especial dentro do Reino Unido e até uma espécie de diferenciação entre o território e o restante do país. O governo May insiste para que o chamado "backstop" valha para todo o território britânico.

O rascunho do acordo elaborado na última terça-feira (13), que será analisado pelo gabinete de May, prevê um período adicional de 21 meses de transição para a adoção das novas regras após o dia 29 de março, prazo final estabelecido para o Brexit.

Caso o Conselho de ministros aceite o texto, a Comissão Europeia deve publicar mais detalhes do plano de 500 páginas e uma declaração resumida explicando como serão as relações entre o bloco e Reino Unido nas questões econômica e de segurança.

Embaixadores dos 27 países remanescentes no bloco vão discutir a possibilidade de organizar uma cúpula extraordinária, que deve acontecer no dia 25 de novembro, para definir os último detalhes, segundo o primeiro-ministro da República da Irlanda, Leo Varadkar. "Claramente, muitas coisas podem dar errado hoje e nos próximos dias mas, se o gabinete de May estiver satisfeito, a força-tarefa dos negociadores da Comissão Europeia poderia publicar um texto nesta noite, com a possibilidade de um encontro do Conselho Europeu no dia 25 de novembro", disse Varadkar.

Se isso acontecer o governo enfrentará uma batalha para ganhar o apoio do Parlamento, em votação que deve acontecer no próximo dia 7 de dezembro, segundo a rede de notícias britânica "BBC. (ANSA)

Campo obrigatório