Meteorologia

  • 25 MAIO 2019
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Theresa May diz que Brexit está 'significativamente mais próximo'

Proposta elaborada por técnicos das duas partes será analisada por um conselho de ministros nesta quarta-feira (14)

Theresa May diz que Brexit está 'significativamente mais próximo'
Notícias ao Minuto Brasil

16:08 - 14/11/18 por Ansa

Economia Acordo

A primeira-ministra britânica, Theresa May, afirmou nesta quarta-feira (14) que o Reino Unido está "significativamente mais perto" da aprovação do acordo sobre o Brexit. A proposta elaborada por técnicos das duas partes será analisada por um conselho de ministros nesta quarta-feira (14).

A chefe de Estado afirmou, em pronunciamento na Casa dos Comuns, o Parlamento britânico, que o entendimento "dará de volta aos britânicos o controle sobre suas fronteiras, leis e dinheiro", além de proteger negócios e empregos locais.

O líder da oposição, Jeremy Corbyn, criticou o acordo, dizendo que o Reino Unido ficará estagnado com um Parlamento dividido, sem um posicionamento coeso sobre as regras. Ele disse que a primeira-ministra está propondo uma falsa escolha aos congressistas, entre "um mau acordo e um não acordo".

Em resposta, May disse que o objetivo do Partido Trabalhista, do qual Corbyn faz parte, é "frustrar o Brexit e trair o voto os cidadãos britânicos".

+ Cuba cancela parceria com Brasil no Mais Médicos; Bolsonaro é o motivo

Acordo

As negociações do Brexit são regidas por um princípio chamado "backstop", que garante que, se não houver acordo, a fronteira entre as Irlandas permanecerá inexistente. Neste caso, a Irlanda do Norte continuaria no mercado comum e na união alfandegária e ficaria submetida as regras diferentes do restante do Reino Unido. No entanto, tanto a Irlanda quanto a Irlanda do Norte querem a manutenção de fronteiras abertas, mas isso pode acabar criando uma região com status especial dentro do Reino Unido e até uma espécie de diferenciação entre o território e o restante do país. O governo May insiste para que o chamado "backstop" valha para todo o território britânico.

O rascunho do acordo elaborado na última terça-feira (13), que será analisado pelo gabinete de May, prevê um período adicional de 21 meses de transição para a adoção das novas regras após o dia 29 de março, prazo final estabelecido para o Brexit.

Caso o Conselho de ministros aceite o texto, a Comissão Europeia deve publicar mais detalhes do plano de 500 páginas e uma declaração resumida explicando como serão as relações entre o bloco e Reino Unido nas questões econômica e de segurança.

Embaixadores dos 27 países remanescentes no bloco vão discutir a possibilidade de organizar uma cúpula extraordinária, que deve acontecer no dia 25 de novembro, para definir os último detalhes, segundo o primeiro-ministro da República da Irlanda, Leo Varadkar. "Claramente, muitas coisas podem dar errado hoje e nos próximos dias mas, se o gabinete de May estiver satisfeito, a força-tarefa dos negociadores da Comissão Europeia poderia publicar um texto nesta noite, com a possibilidade de um encontro do Conselho Europeu no dia 25 de novembro", disse Varadkar.

Se isso acontecer o governo enfrentará uma batalha para ganhar o apoio do Parlamento, em votação que deve acontecer no próximo dia 7 de dezembro, segundo a rede de notícias britânica "BBC. (ANSA)

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório