Meteorologia

  • 20 OUTUBRO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Saiba o que é o Sistema S e entenda o que o governo tem a ver com isso

Conjunto de instituições corporativas voltadas a treinamento profissional se tornou alvo de Paulo Guedes, futuro ministro da Economia

Saiba o que é o Sistema S e entenda o que o governo tem a ver com isso
Notícias ao Minuto Brasil

12:04 - 19/12/18 por Notícias Ao Minuto

Economia verba

Na última segunda-feira (17), o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que é preciso "meter a faca no Sistema S". A declaração levou a interpretações de que o governo poderia estar interessado em ficar os recursos, usados hoje para financiar políticas próprias de capacitação.

A equipe de Guedes estuda acabar com a obrigatoriedade de pagamento ao Sistema S pelas empresas. A ideia é retirar a contribuição da lista de recolhimentos compulsórios que incidem sobre a folha de salários.

+ Temer sanciona texto que afrouxa Lei de Responsabilidade Fiscal

O futuro secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, disse que o objetivo é baixar os custos de contratação para gerar empregos.

MAS O QUE É EXATAMENTE O SISTEMA?

O Sistema S é o conjunto de instituições corporativas voltadas a treinamento profissional, pesquisa e assistência técnica e social e abrange nove instituições, todas iniciadas com a letra S.

De acordo com o UOL, essas instituições são estabelecidas pela Constituição Federal e cada uma é voltada a uma área específica, como indústria, comércio, agronegócio e cooperativismo. Elas são:

Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial): qualificação de mão de obra,

Sesi (Serviço Social da Indústria): aperfeiçoamento do ambiente de trabalho.

Senac (Serviço Nacional de Aprendizagem do Comércio): voltado à mão de obra

Sesc (Serviço Social do Comércio): responsável pela área de lazer dos afiliados.

Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas): para a mão de obra agrícola

Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural)

Sescoop (Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo)

Senat (Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte)

Sest (Serviço Social de Transporte)

FINANCIAMENTO E RELAÇÃO COM O GOVERNO

As instituições do Sistema S, originadas no governo Getúlio Vargas, têm cunho privado e se sustentam com repasse público.

Em 1942, Vargas decretou a criação de uma organização que trabalhasse no sentido de capacitar profissionais para a indústria, surgindo assim o Senai, que deveria ser mantido com dinheiro das empresas e administrado pela Confederação Nacional da Indústria.

+ Consumidores pagarão R$ 17 bi na conta de luz para cobrir subsídios

As outras instituições surgiram com a mesma lógica. Ainda de acordo com o UOL, parte da folha de pagamento das empresas é repassada às federações patronais, que administram os serviços de capacitação profissional. O repasse está na Constituição.

No ano passado, o repasse foi de R$ 16,5 bilhões no total, enquanto neste ano, 2018, o valor já superou a casa dos R$ 17 bilhões. E é nessa quantia que Guedes propõe um corte.

Segundo Guedes, os cortes podem ser entre 30% e 50% do repassado atualmente.

Na visão de especialistas, é preciso entender qual o atual impacto social do Sistema S para avaliar melhor esta medida. Entidades dizem que possíveis cortes terão impactos sociais relevantes.

Leia também: Para Sesi e Senai, corte no Sistema S pode fechar escolas

Campo obrigatório