Meteorologia

  • 22 JULHO 2019
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Low-cost americana libera gorjeta individual para comissários

Os comissários da Frontier já podiam aceitar gorjetas desde que a companhia implementou um novo sistema de vendas a bordo com um tablet

Low-cost americana libera gorjeta individual para comissários
Notícias ao Minuto Brasil

10:22 - 09/01/19 por GUILHERME MAGALHÃES, folhapress

Economia DINHEIRO EXTRA

Uma decisão recente da low-cost americana Frontier Airlines vem causando controvérsia nos Estados Unidos. A companhia liberou seus comissários para aceitarem gorjetas individuais, geralmente durante as vendas do serviço de bordo -já que pagar por um café ou um sanduíche no voo é comum há anos no universo das low-costs americanas.

+ Rio deixará de ter voos diretos para Nova York e Orlando em abril

Os comissários da Frontier já podiam aceitar gorjetas desde que a companhia implementou um novo sistema de vendas a bordo com um tablet, há três anos. Ao comprar uma bebida, por exemplo, o passageiro, antes de informar o número do seu cartão de crédito, informava se aceitaria dar uma gorjeta de US$ 0,45 (R$ 1,67), US$ 0,60 (R$ 2,23) ou US$ 0,75 (2,78) ao comissário. As gorjetas eram divididas de forma igualitária entre todos os comissários da Frontier.

Desde o último 1º de janeiro, no entanto, os 2.200 comissários da empresa não dividem mais as gorjetas. Agora, é cada um por si. A Associação de Comissários de Bordo (AFA, na sigla em inglês), sindicato que representa 50 mil funcionários de 20 companhias aéreas, incluindo a Frontier, é contrária à medida e afirma que os comissários deveriam receber salários maiores.

O salário anual médio de um comissário nos EUA gira em torno de US$ 50,5 mil (R$ 187 mil), segundo o Escritório de Estatísticas do Trabalho do governo americano. "Nós valorizamos o ótimo trabalho dos nossos comissários e sabemos que nossos clientes também o fazem, por isso [o sistema] dá aos passageiros a opção de dar a gorjeta", afirmou o porta-voz da Frontier, Jonathan Freed, à Bloomberg.

A medida foi criticada também por de certa forma igualar o trabalho de um comissário de bordo ao de um garçom de restaurante. Na verdade, o comissário passa por um elaborado treinamento de segurança para auxiliar os passageiros em caso de emergência, tanto de saúde como de voo. Empurrar o carrinho e vender produtos é apenas uma de suas funções. Companhias tradicionais como American e United proíbem que seus comissários aceitem gorjetas a bordo. Com informações da Folhapress.

Campo obrigatório