Meteorologia

  • 31 MAIO 2020
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Ricardo Teixeira é acusado de receber suborno para votar no Qatar

Justiça dos EUA acusa Teixeira de receber suborno para votar no Qatar

Ricardo Teixeira é acusado de receber suborno para votar no Qatar
Notícias ao Minuto Brasil

05:00 - 07/04/20 por Folhapress

Esporte Estados Unidos

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Departamento de Justiça dos Estados Unidos tornou público nesta segunda-feira (6) um documento no qual acusa Ricardo Teixeira, ex-presidente da CBF, de ter recebido suborno para votar no Qatar como sede da Copa do Mundo de 2022.

A acusação faz parte de um novo indiciamento do "Fifagate", a maior investigação de corrupção na história do futebol.

Após anos de suspeitas sobre os votos que levaram a Rússia e o Qatar a sediar os Mundiais de 2018 e 2022, respectivamente, pela primeira vez a Justiça norte-americana acusou nominalmente os dirigentes de terem recebido suborno nas votações das sedes da competição.

O valor das propinas e a origem delas não foi divulgado pela Justiça dos EUA.

Em entrevista recente à CNN, Ricardo Teixeira disse que as investigações, responsáveis pelo seu banimento do futebol por parte da Fifa em 2019, são uma forma de retaliação do governo norte-americano e, mais precisamente, do ex-presidente do país Bill Clinton.

Segundo Teixeira, ele teria sido transformado em alvo da Justiça dos EUA por ter votado no Qatar, e não nos Estados Unidos, como sede da Copa do Mundo de 2022. O voto no Qatar foi justamente o motivo da acusação da justiça norte-americana, que diz que Teixeira recebeu dinheiro para fazê-lo.

O ex-presidente da Conmebol Nicolas Leoz, e o ex-presidente da AFA (Associação Argentina de Futebol), Julio Grondona, também foram acusados de venderem seus votos. Ambos, porém, já morreram -Grondona em 2015, e Leoz no ano passado.

O Departamento de Justiça também acusa o ex-presidente da Concacaf, Jack Warner, de ter recebido 5 milhões de dólares para ter votado na Rússia como sede do Mundial de 2018.

Presidente da CBF de 1989 a 2012, quando renunciou, o carioca de 72 anos foi banido do futebol pela Fifa em novembro de 2019, além de ter sido multado em 1 milhão de francos suíços (R$ 4,25 milhões na época).

Acusado por delatores na Justiça dos EUA, entre eles o ex-amigo e empresário J. Hawilla (1943-2018), de ter recebido propina na venda de direitos comerciais da CBF, Teixeira passou a ser investigado em pelo menos quatro países (EUA, Espanha, Uruguai e Suíça).

Desde então, ele não viaja para países que tenham acordo de extradição com os EUA.

Transmissões ao vivo dos jogos dos principais times do Brasileirão!

Veja resultados, notícias, entrevistas, fotos, vídeos e os bastidores do mundo do esporte

Obrigado por ter ativado as notificações do Esporte ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Brasil Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório