Idolatrado no Benfica, Jonas quer voltar à seleção: ‘É difícil, mas…’

O atacante de 33 anos também pensa em retornar ao Brasil para encerrar a carreira

© USA Today Sports
Esporte ATACANTE 09:00 - 19/05/17 POR Notícias Ao Minuto

Idolatrado em Portugal, Jonas vive talvez a sua melhor fase no Benfica. No último fim de semana, o atacante, que está com 33 anos, ergueu o troféu do Campeonato Português no famoso Estádio da Luz, em Lisboa. Agora, com o término da temporada europeia, a calmaria chega e o jogador avalia os planos para a próxima temporada. Um deles é voltar à seleção brasileira.

PUB

“Eu estava lesionado, então nem tinha como pensar em Seleção. E o Tite acertou o time, que está voando. É difícil ser convocado com esses jogadores fazendo muito sucesso. Mas é um objetivo meu voltar. Quero continuar meu trabalho aqui para, quem sabe, estar em uma próxima convocação. A partir de agora, depois de me recuperar da lesão, vou lutar para estar”, disse o atacante em entrevista ao Globoesporte.com.

Vale ressaltar que o time de Time tem pelo menos um jogador incontestável na posição de Jonas: Gabriel Jesus.

Notícias ao Minuto

“Você já vê que ele (Gabriel Jesus) é um jogador diferente. Na posição que está exercendo, tem muitas qualidades para fazer muito sucesso. Tenho certeza que ele vai fazer. Tem uma maturidade muito interessante para a idade que tem. Tem frieza perto do gol, é rápido, se movimenta bem, ajuda na marcação. Hoje vejo o Gabriel Jesus como um jogador completo. Já brilhou no Palmeiras, está brilhando no Manchester City e vai continuar fazendo isso por muitos anos. E é uma posição que é difícil hoje, é difícil ter um 9 fixo na Seleção. Ele se encaixa bem nesse esquema. A gente torce muito para ele. Não o conheço pessoalmente, mas ele parece ser um menino do bem e muito simples”, acrescenta.

Com contrato com o Benfica até 2019, Jonas também pensa em voltar ao Brasil para encerrar a carreira no Guarani.

“Eu gostaria de cumprir meu contrato aqui, e depois penso em voltar ao futebol brasileiro para encerrar a carreira. Sou muito grato a todos os clubes por onde passei: Guarani, Santos, Portuguesa e Grêmio. Se for para tocar meu coração, terminar no Guarani seria maravilhoso. Mas hoje não cravaria isso. É difícil falar agora. Voltaria tranquilamente para qualquer um desses quatro, independentemente da situação em que eles estejam. Mas onde tudo começou me tocaria mais. Comecei no Guarani, seria bacana. Mas deixo em aberto, pois a gente não sabe do futuro. Pode ser que as coisas mudem, e que a gente não consiga cumprir o que cravou. Por isso, deixo em aberto”, finaliza.

Leia também: Veja os nomes do esporte que apoiaram o encrencado Aécio Neves

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

X