Venda de Douglas ao City vai 'salvar' semestre financeiro do Vasco

O clube estava com uma séria ameaça de não conseguir cumprir seus compromissos em dia até o restante da temporada

© Paulo Fernandes / Vasco
Esporte DINHEIRO 08:00 - 16/07/17 POR Folhapress

A venda do volante Douglas ao Manchester City, da Inglaterra, por cerca de R$ 49 milhões, não poderia ter vindo em melhor hora para o Vasco. O clube estava com uma séria ameaça de não conseguir cumprir seus compromissos em dia até o restante da temporada e a verba, que representou a maior negociação da história do Vasco, foi bastante comemorada internamente.

PUB

O mês de maio, por exemplo, foi de atraso para os jogadores, que só o receberam dias antes do clássico com o Flamengo, no último sábado. Os vencimentos de junho, pela lei, precisam ser pagos até o quinto dia útil de julho. No futebol, entretanto, é praxe que os vencimentos sejam pagos até o dia 20 do mês seguinte.

Em entrevista ao "Globoesporte.com" mês passado, o presidente do Conselho Fiscal, Otto Carvalho, que se insurgiu contra Eurico Miranda muito por conta das divergências financeiras e se lançou candidato de oposição, já alertava sobre a situação delicada do clube. Ele revelava que o Vasco se manteve em 2016, basicamente, com as luvas do contrato da TV Globo de R$ 60 milhões e previa problemas para o segundo semestre caso algo extraordinário, como a venda milionária de Douglas agora, não acontecesse:

"Hoje, com a folha que a gente tem, e sem receita expressiva para entrar, daqui até o fim do ano se tem muitas dificuldades. Com certeza".

Em abril, o Vasco renovou o contrato com a Caixa Econômica Federal por R$ 11 milhões até o fim de 2017, com um bônus de mais R$ 1,5 milhão se o clube for campeão brasileiro. Em março, a direção ainda fechou uma parceria com a empresa de telefonia TIM, no valor de cerca de R$ 1 milhão.

A venda de Douglas por 13 milhões de euros, o que totaliza cerca de R$ 49 milhões, foi superior à expectativa criada. Internamente, os dirigentes já aceitavam um negócio na casa dos 10 milhões de euros (cerca de R$ 36 milhões).

COUTINHO

Para se ter uma ideia de como os R$ 49 milhões de Douglas foram bem-vindos em São Januário, o valor ultrapassou os R$ 22 milhões estipulados em orçamento para vendas de jogadores em 2017. A curiosidade no balanço do clube é que, além desta meta, o Vasco conta no documento com um mecanismo de solidariedade de Philippe Coutinho no valor de R$ 13 milhões.

Na prática, isso significa que, para pagar as contas, o Vasco depende que o Liverpool decida se desfazer de seu jogador mais valorizado, o que renderia dinheiro ao clube brasileiro por ser formador. Com a negociação de Douglas, a dependência peculiar já pode ser descartada.

Vale lembrar que, mesmo cobiçado por gigantes da Europa, Philippe Coutinho, revelado no Vasco, renovou este ano com o Liverpool, da Inglaterra, por mais cinco temporadas. Além de Douglas, o Vasco já havia vendido em 2017 o zagueiro Luan para o Palmeiras por R$ 10 milhões, o que totaliza ao clube cerca de R$ 59 milhões em vendas.

DÍVIDA

Cabe ressaltar, no entanto, outro ponto muito importante no balanço vascaíno: a dívida com o empresário Carlos Leite, que justamente agencia Douglas e Luan. No documento, consta um empréstimo do executivo na ordem de R$ 20,6 milhões. Ainda não há confirmação, porém, se parte destes R$ 59 milhões acumulados com a dupla serão utilizados para saldar este passivo. Com informações da Folhapress.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

Transmissões ao vivo dos jogos dos principais times do Brasileirão!

Veja resultados, notícias, entrevistas, fotos, vídeos e os bastidores do mundo do esporte.

Obrigado por ter ativado as notificações de Esporte ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias Ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

X