Meteorologia

  • 22 NOVEMBRO 2017
Tempo
10º
MIN 10º MÁX 10º

Edição

"Há uma confusão entre carinho e interesse sexual", diz Nuno Cobra

Ao ser levado pela PF, ex-preparador de Senna nega acusações de violação

"Há uma confusão entre carinho e interesse sexual", diz Nuno Cobra
Notícias ao Minuto Brasil

06:25 - 12/09/17 por Notícias Ao Minuto

Esporte Assédio sexual

Preso por violação sexual após duas denúncias, Nuno Cobra lamentou a polêmica a caminho do Centro de Custódia da Polícia Federal, onde passou a noite de segunda-feira." É triste pensar que a sociedade me acha um perigo", afirmou o ex-preparador físico de Ayrton Senna.

No primeiro caso, o homem de 79 anos havia sido condenado por violação sexual  durante um voo entre Curitiba e São Paulo. Na ocasião, Cobra teria assediado uma passageira de 21 anos, tocando os seus seios e pernas diversas vezes. Ainda teria dito "que o formato do corpo da vítima lhe despertava pontos energéticos que não sentia há muito tempo".

Após a história ser publicada pela repórter Gabriela Moreira (ESPN Brasil), uma jornalista da Jovem Pan  resolveu denunciar o preparador por episódio semelhante, que teria ocorrido nos estúdios da rádio, no último dia 24 de Agosto. 

Segundo o relato da vítima, cujo processo ocorre em segredo de justiça, o acusado teria apertado suas nádegas e esfregado o órgão sexual nela, afirmando que os homens possuem "energias sexuais" e que "as mulheres deveriam compreender". Esta segunda denúncia provocou a prisão preventiva do preparador físico, proferida pela juíza Raecler Baldresca.

"Fui convidado para participar do programa deles, estava um clima ótimo. Conversei, brinquei, disse que o Ayrton não pilotava nada, que o bom era o Rubinho (Barrichello), estávamos todos descontraídos. Na hora de ir embora, fiz o que sempre faço. Dei abraços longos em todos. Beijei os homens, como costumo fazer, é o meu jeito. Nesse mundo frio, as pessoas têm medo de se tocar, eu nunca tive. Há uma confusão enorme entre carinho e interesse sexual", disse Cobra, em entrevista a GQ por telefone.

Na primeira denúncia, a juíza havia condenado Nuno Cobra a três anos e nove meses de prisão em regime inicial aberto, substituindo a pena para prestação de serviços à comunidade e à prestação pecuniária (pagamento mensal de um salário mínimo a entidade pública ou privada). Com a reincidência no crime, o pedido de prisão de Nuno Cobra foi feito pelo Ministério Público Federal no último dia 5, "sob fundamento da garantia da ordem pública". 

Saiba mais: PF prende Nuno Cobra, ex-preparador de Senna, por assédio sexual

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Transmissões ao vivo dos jogos dos principais times do Brasileirão!

Veja resultados, notícias, entrevistas, fotos, vídeos e os bastidores do mundo do esporte

Obrigado por ter ativado as notificações do Esporte ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Brasil Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório