Meteorologia

  • 20 SETEMBRO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Ministério Público cumpre mandados contra ex-dirigentes do Inter

De acordo com o órgão, foram 20 diligências

Ministério Público cumpre mandados contra ex-dirigentes do Inter
Notícias ao Minuto Brasil

13:45 - 20/12/18 por Folhapress

Esporte Futebol

O Ministério Público do Rio Grande do Sul cumpriu, na manhã desta quinta-feira (20), mandados de busca e apreensão em investigação de crimes de apropriação indébita, estelionato, organização criminosa, falsidade documental e lavagem de dinheiro na gestão 2015/2016 do Internacional.

De acordo com o órgão, foram 20 diligências. Os mandados incluem residências dos dirigentes do clube à época e sede de empresas em Porto Alegre, Eldorado do Sul e Viamão.

Os mandados de busca e apreensão foram realizados por equipe liderada pela Promotoria de Justiça Especializada Criminal de Porto Alegre e Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO).

A lista de investigados cita seis dirigentes da gestão comandada por Vitório Piffero. Além de Piffero, são citados Pedro Affatato, ex-vice-presidente eleito e vice de finanças; Alexandre Limeira, ex-vice de administração; Emidio Marques Ferreira, que ocupou cargo de vice de patrimônio; Marcelo Domingues de Freitas e Castro, ex-vice jurídico; e Carlos Pellegrini, ex-vice de futebol.

+Diego soma propostas e vira maior mistério no Flamengo de 2019

+História de Adriano Imperador vai virar filme e documentário

Em outubro, o Internacional tornou Vitório Piffero, Pedro Affatato, Emídio Ferreira e Alexandre Limeira inelegíveis no clube por 10 anos.

A administração de Piffero foi marcado apenas pela queda do Internacional para a Série B  em 2016. Uma série de supostas irregularidades administrativas também marcaram a gestão. Tanto que ao fim do último ano de comando, as contas foram rejeitadas na avaliação do Conselho, que criou uma comissão especial para analisar o que havia acontecido.

Esta comissão realizou uma sindicância e formulou um relatório em que 15 itens foram separados. Destes, cinco configuraram, segundo o documento, gestão irregular ou temerária.

Foram eles: adiantamentos em valores dos cofres do clube de aproximadamente R$ 10 milhões sem apresentação de nota fiscal, pagamentos de faturas de cartões de crédito de forma irregular, R$ 1,1 milhão em pagamentos a empresas responsáveis por obras não verificadas no Beira-Rio e gastos no cartão corporativo do clube com alimentação. 

A reportagem tenta falar com os acusados ou seus advogados, mas até agora não obteve contato. Com informações da Folhapress.

Transmissões ao vivo dos jogos dos principais times do Brasileirão!

Veja resultados, notícias, entrevistas, fotos, vídeos e os bastidores do mundo do esporte

Obrigado por ter ativado as notificações do Esporte ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Brasil Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório