Maria Cândida relembra depressão pós-parto: "Foi muito difícil"

A jornalista também revive histórias ao longo de sua passagem por diversas emissoras

© DR
Fama tristeza 16:41 - 19/05/17 POR Notícias Ao Minuto

A jornalista Maria Cândida é a convidada de Daniela Albuquerque no quadro 'Papo com Dani' que vai ao ar no 'Sensacional' deste domingo (21), na RedeTV!. Na conversa, a apresentadora da TV Aparecida relembra a carreira na televisão, além de recordar o nascimento da única filha, Lara, e deixar um alerta a respeito da depressão pós-parto. "Eu tive depressão pós-parto, muitas mulheres têm, mas não aceitam. Fiquei uns seis meses assim e não sabia o que fazer da minha vida. Ia andar no Ibirapuera e falava 'o que vou fazer com esse bebê na minha vida agora? Como vou viajar?'. Para me adaptar a essa nova vida foi muito difícil e faço um alerta para as mulheres: quando perceberem que estão ficando deprimidas, procurem um médico”, diz ela. “Procurei um médico, tomei remédio e fiquei totalmente normal, ótima. A mulher tem essa transformação hormonal e tem que ficar atenta, não é fácil!", ressalta.

PUB

Na entrevista, Maria Cândida também revive histórias ao longo de sua passagem por diversas emissoras, como quando precisou aderir aos cabelos curtos para se adequar ao modelo. “Trabalhei na TV Globo e eles me fizeram cortar o cabelo (…). Não é como hoje, a Globo tinha um padrão, a Fátima Bernardes tinha o cabelo curto, a Sandra Annenberg, todas as apresentadoras tinham o cabelo curto. Aí fui para Santos, numa afiliada, e resolveram cortar meu cabelo. Eu chorava no cabeleireiro”, revive Maria Cândida. “Quando fui para o SBT, comecei a ficar com o cabelo mais comprido, comecei a ter mais personalidade e liberdade, mandar mais no que eu queria”, complementa.

Conhecida por suas entrevistas com grandes nomes do cinema e da música, como Brad Pitt, Tom Hanks, Will Smith, entre outros, a jornalista revela qual foi o maior desafio de sua carreira. “Entrevistar o Christopher Reeve, o ator que fez o primeiro Super-Homem. Um homem lindíssimo, maravilhoso, e ele ficou tetraplégico. A entrevista não foi num hotel, foi na casa dele. Conheci a família dele, sentei na frente dele e ele não conseguia falar direito, respirar direito. Foi extremamente difícil porque eu não sabia qual era o limite da entrevista, até onde eu podia ir. Era uma pessoa que eu admirava muito e tive medo de não dar conta”, confessa. Questionada por Dani, ela ressalta que ainda gostaria de entrevistar os cineastas Martin Scorsese e Woody Allen.

Sobre a experiência de escrever seu primeiro livro, 'Mulheres que Brilham', a comunicadora ressalta ter se tratado de “uma das experiências mais transformadoras” que teve em sua vida e fala sobre o trabalho de reportagem para que o material fosse produzido. “Acho que nunca vou deixar de ser repórter. O repórter é aquele que vai atrás da notícia, que quer descobrir, e esse espírito eu nunca vou deixar de ter na minha vida, está no meu sangue”.

A entrevista completa vai ao ar no programa 'Sensacional' deste domingo (21), às 16h30, pela RedeTV!.

Leia também: Joaquim Lopes passa vergonha ao ser corrigido duas vezes por Otaviano

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

X