Meteorologia

  • 21 JANEIRO 2022
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Blogueira que falou em 'esfaquear' Eduardo Bolsonaro diz que foi intimada

Os comentários da influenciadora foram compartilhados em uma sequência de vídeos no formato de stories (que se apaga após 24 horas de publicação)

Blogueira que falou em 'esfaquear' Eduardo Bolsonaro diz que foi intimada
Notícias ao Minuto Brasil

13:21 - 04/12/21 por Folhapress

Política Rio de Janeiro

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - A blogueira Maria Cristina Fontes de Mattos, conhecida como Tininha Mattos, disse à reportagem nesta sexta-feira (30 que foi intimada a prestar depoimento à Polícia Civil do Rio de Janeiro por conta de um vídeo, publicado em março no Instagram, em que criticava o presidente Jair Bolsonaro (PL) e um de seus filhos, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).


Os comentários da influenciadora foram compartilhados em uma sequência de vídeos no formato de stories (que se apaga após 24 horas de publicação). Na ocasião, ela lamentou não ter encontrado Bolsonaro e seus filhos no Rio de Janeiro, acrescentando que, caso tivesse a oportunidade, faria um "escândalo". Ela também disse que daria outra facada em Bolsonaro e "provavelmente" em Eduardo, "que é quem mais odeia".


"Meu advogado está entrando com pedidos de habeas corpus para trancar esse inquérito, já que é inconstitucional e ilegal. Não houve crime. Aliás, ele mesmo [Eduardo Bolsonaro] falou isso em audiência de conciliação do processo cível que ele mesmo abriu", disse Tininha, em referência a outra ação, esta apresentada ao TJDFT (Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios), na qual Eduardo já foi derrotado.


A intimação é um desdobramento da ação apresentada em 1º de setembro por Eduardo contra Tininha ao TJRJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro) por suposto crime de ameaça. O caso está sendo investigado pela DRCI (Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática).


A mesma delegacia instaurou, anteriormente, inquéritos contra o influenciador digital Felipe Neto e os jornalistas William Bonner e Renata Vasconcellos. Os casos acabaram sendo arquivados depois.
Em declarações ao UOL em março, Tininha Mattos contou ter se tornado alvo de inúmeros ataques e ameaças após a publicação das críticas à família Bolsonaro. O próprio Eduardo rebateu a blogueira, dizendo que "tudo dito nestes vídeos ultrapassa em muito o limite de uma crítica ou brincadeira, principalmente após a facada".


À época, o deputado informou ainda que entraria com um processo contra Tininha -sem citar seu nome- e um doutor em Filosofia pela USP (Universidade de São Paulo) que também o criticou. "Não tenho menos honra por ser filho do presidente. [...] Que a justiça seja feita", escreveu Eduardo em 16 de março.


A ação foi enviada logo depois ao TJDFT. Ao UOL, no entanto, Tininha afirmou não ter sido notificada e que ficou sabendo do processo contra ela pela imprensa. Ela também disse que não foi procurada por nenhum advogado ou assessor do deputado.


"Eu postei o vídeo nos stories pela manhã. Passei o dia e nada aconteceu. Tudo ocorreu durante a madrugada. Quando acordei de manhã, meu Instagram estava lotado de mensagens de todos os tipos", relatou a influenciadora na ocasião.

Campo obrigatório