"É uma grande injustiça", diz mãe de Eduardo sobre processo arquivado

O processo foi arquivado através de um habeas corpus que pedia o trancamento do processo, por inépcia da defesa e ausência de provas

© DR
Justiça decisão 08:48 - 30/11/16 POR Notícias Ao Minuto

Com dois votos contra um, o processo dos policiais suspeitos de terem disparado em um menino de 10 anos, em abril de 2015, no conjunto de favelas do Alemão, Zona Norte do Rio, foi arquivado. A decisão foi tomada na tarde da última terça-feira (29), pela 2ª Câmara Criminal. A ação judicial foi arquivada através de um habeas corpus que pedia o trancamento do processo, por inépcia da defesa e ausência de provas.

PUB

"É uma grande injustiça. É porque não é o filho deles que foi morto com um tiro de fuzil na favela", desabafou a mãe do garoto, Terezinha de Jesus. Ela ainda ressaltou que não vai desistir de ir atrás dos seus direitos. "Eles ganharam essa pequena batalha, mas não vão ganhar a guerra. Enquanto eu tiver vida, vou lutar pela justiça do meu filho", disse Terezinha, que volta para o Piauí, sua terra natal.

Segundo o G1, a Defensoria Pública já declarou que pretende recorrer no Superior Tribunal de Justiça (STJ) em Brasília. "Vamos à Procuradora responsável pelo caso para que leve o caso a essa instância", antecipou o defensor público Daniel Lozoya.

LEIA TAMBÉM: Acusado de matar gerente de banco, Mister Rondônia 2015 confessa crime

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

X