Meteorologia

  • 21 SETEMBRO 2017
Tempo
21º
MIN 21º MÁX 21º

Edição

Justiça julga anulação da certidão de óbito de Eliza Samudio

Invalidação do documento possibilita a anulação do julgamento de Bruno e de outros réus

Justiça julga anulação da certidão de óbito de Eliza Samudio
Notícias ao Minuto Brasil

16:45 - 13/09/17 por Notícias Ao Minuto

Justiça MG

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), em Belo Horizonte, vai julgar nesta quarta-feira (13) dois recursos da defesa do goleiro Bruno Fernandes e da ex-namorada dele, Fernanda Gomes de Castro. Os advogados pedem a redução da pena dos réus e questionam a expedição da certidão de óbito de Eliza Samudio.

Como cita o "Correio Braziliense", o documento que comprova a morte de Eliza foi expedido em janeiro de 2013 após pedido da família da vítima e da Promotoria, depois de acompanharem o julgamento de Luiz Henrique Romão, o "Macarrão", em que o assassinato de Eliza foi reconhecido.

+ ‘Operação Hestia’ cumpre 22 mandados de prisão em Pernambuco

Na época, o tribunal decidiu pela expedição do atestado de óbito como forma de reparar danos pessoais à família de Eliza, além de dar um resguardo aos direitos de Bruninho, filho da modelo com o goleiro.

Agora, se os recursos forem aceitos, o atestado de óbito da vítima pode ser anulado, bem como o julgamento que condenou o atleta.

Lúcio Adolfo, advogado de defesa do goleiro, acredita que a invalidação do documento possibilita a anulação do julgamento de Bruno e também de Marcos Aparecido dos Santos, o "Bola", apontando como executor de Eliza. "Entendo e penso que se o tribunal decidir reduzir a pena do Bruno a 15 anos, por exemplo, é o ideal e ele volta integralmente para as ruas com a pena completamente cumprida. É um processo que já está traumático para o tribunal, para a defesa, para o próprio Bruno e também para a família da Eliza," explicou o advogado.

O goleiro Bruno foi condenado em novembro de 2012 a 22 anos e três meses pelo homicídio triplamente qualificado de Eliza Samudio, ocultação do cadáver e sequestro de Bruno Souza, filho dele com a vítima.

Campo obrigatório