Meteorologia

  • 22 OUTUBRO 2017
Tempo
20º
MIN 20º MÁX 20º

Edição

Guerra da Rocinha segue para 10º dia com espera por rendição

Polícia do Rio tenta capturar o traficante Rogério 157

Guerra da Rocinha segue para 10º dia com espera por rendição
Notícias ao Minuto Brasil

05:47 - 26/09/17 por ANSA

Justiça rio

A guerra pelo controle do tráfico de drogas na Rocinha, favela situada na zona sul do Rio de Janeiro, se encaminha para seu 10º dia com a expectativa pela rendição de Rogério Avelino da Silva, o "Rogério 157", um dos protagonistas do conflito.

Segundo a Polícia Federal, familiares do traficante entraram em contato para negociar uma possível entrega, o que poderia colocar fim às disputas na comunidade, mas as conversas ainda não avançaram.

A "guerra da Rocinha" eclodiu no último dia 17 de setembro, quando aliados de Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem, que está preso em uma penitenciária federal em Rondônia, invadiram a favela para retomar o controle sobre o tráfico de drogas no local.

Nem chefiou o crime organizado na comunidade até 2011, quando foi capturado e cedeu lugar a Rogério 157, seu ex-segurança. Antigos aliados, os dois romperam no ano passado, culminando na expulsão de Danúbia de Souza Rangel, esposa de Nem, da Rocinha, o que deu início à guerra.

+ PF prende 14 pessoas em investigação contra produção de dinheiro falso

Desde a invasão por parte do bando de Nem, a favela vem sendo palco de constantes tiroteios e operações da polícia, que tenta capturar Rogério - não se sabe se ele continua na comunidade, que passou a ser ocupada pelo Exército para conter a violência.

A principal missão das Forças Armadas é fazer um cerco à Rocinha para facilitar as ações das polícias Civil e Militar na região. Desde 17 de setembro, as forças de segurança já capturaram 10 pessoas e apreenderam 14 fuzis, 15 granadas, 10 bombas caseiras e seis pistolas.

Nesta segunda-feira (25), nono dia desde o início do conflito e o quarto da operação do Exército, as nove escolas da comunidade permaneceram fechadas, deixando 3,3 mil alunos sem aula, mas não houve novos confrontos. Os tiroteios já causaram seis mortes e deixaram cinco feridos. Com informações da Ansa.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório