Meteorologia

  • 18 OUTUBRO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Homem que assumiu crime em áudio se entrega: 'Atropelei geral'

Jovem que comemorava o aniversário de 26 anos com amigos morreu no local

Homem que assumiu crime em áudio se entrega: 'Atropelei geral'
Notícias ao Minuto Brasil

10:56 - 25/04/18 por Notícias Ao Minuto

Justiça Rio

Renan Fernandes Nascimento, o homem que atropelou três pessoas na saída de uma boate na Barra da Tijuca, no Rio, e enviou um áudio à namorada assumindo o crime se apresentou à polícia nessa terça-feira (24). O caso aconteceu na última sexta-feira (20).

Os rapazes que foram atingidos eram amigos e saíam da comemoração do aniversário de 26 anos de Rafael Alonso, que morreu no local.

Logo após o incidente, Renan enviou um áudio via mensagem de WhatsApp à namorada confessando o atropelamento: "Atropelei geral, atropelei mais de cinco pessoas, tá? Vou ser preso, não sei nem o que vou fazer...".

Como apurado pelo G1, o agressor passou a noite na 16ªDP (Barra da Tijuca). Em depoimento, ele afirmou não se lembrar do que aconteceu. “Ele afirma que teve uma discussão e que, nesse momento, se aproximaram os outros e ele achou que um tivesse ido pegar uma arma e por isso ele entrou no carro e tentou fugir da agressão que ele achou que iria sofrer”, contou a delegada Adriana Belém.

+ Polícia faz operação contra milícia no Rio e prende 12 pessoas

Segundo os investigadores, o suspeito estava na boate e gastou mais de R$ 820 em dois combos de vodca e energéticos naquela noite.

Um amigo que chegou a ser atingido e sofreu ferimentos leves contou à polícia que houve uma discussão antes do atropelamento. "Um quarto amigo nosso teve uma discussão com esse cara do carro, e esse cara falou que ia pegar uma arma. Eu fui até ele 'pra deixar disso', pra ele não fazer nada. Para mim, tinha morrido ali. Saímos pra ir até o nosso carro, que estava parado depois do posto; nisso, foi quando só deu para escutar o barulho do pneu do carro cantando e a porrada pegando a gente pelas costas", afirmou.

Para a delegada, o depoimento de Renan à polícia não foi convincente. “A história realmente não me convenceu, todos os indícios levam para um outro caminho, mas ele tem o direito de falar o que quiser para a sua defesa."

Ainda de acordo com Adriana, Renan foi indiciado por homicídio doloso consumado, além de três tentativas de homicídio doloso. Ele pode ser condenado a mais de 50 anos de prisão.

Campo obrigatório