Meteorologia

  • 01 AGOSTO 2021
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

PM identifica policiais que aparecem atirando em área incendiada no PR

Os policiais militares estão sendo investigados pela corregedoria da PM

PM identifica policiais que aparecem atirando em área incendiada no PR
Notícias ao Minuto Brasil

14:43 - 12/12/18 por Folhapress

Justiça Curitiba

A Polícia Militar do Paraná identificou os dois policiais que aparecem atirando contra casas numa área de invasão em Curitiba, durante uma operação na sexta-feira (7). Os policiais militares estão sendo investigados pela corregedoria da PM. Ainda não há informações sobre a situação dos oficiais.

As imagens, em poder do Ministério Público do Paraná, foram divulgadas na segunda-feira (10) pela Folha de S.Paulo.

Os dois policiais, que vestem coletes balísticos da PM, mas usam roupas comuns e um carro descaracterizado, gritam: "Vai pra dentro, caralho" e "vagabundo". Eles atiram pelo menos dez vezes na rua, a esmo e contra casas. 

Naquela sexta (7), a PM fazia uma operação para identificar os assassinos de um policial morto a tiros de metralhadora durante a madrugada. Moradores acusam a polícia de truculência, e dizem que casas foram arrombadas a pontapés, sem mandado judicial.

+ Quadrilha que roubou empresa de valores é condenada a mais de 100 anos

A ação foi realizada horas antes do incêndio que destruiu cerca de 300 casas na vila, na madrugada de sábado (8). Moradores ouvidos pela reportagem afirmam que policiais tiveram participação no incêndio.

A PM nega e suspeita de ação do crime organizado, em represália a operações que combateram quadrilhas de tráfico de drogas na comunidade.

Em nota, a PM afirmou que "não compactua com desvios de conduta de seus integrantes e caso sejam comprovadas irregularidades, os canais de saneamento e correição serão aplicados ao rigor da lei". Nesta terça (11), um homem foi preso suspeito de participar da morte do policial militar.

Ele confessou ter atirado contra o PM, segundo a Polícia Civil. Cerca de 400 famílias moram na invasão, conhecida como Ocupação 29 de Março, que existe há cerca de quatro anos. Dezenas de crianças e uma grande comunidade de imigrantes haitianos vivem no local. Com informações da Folhapress.

Campo obrigatório