Meteorologia

  • 23 JANEIRO 2019
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Sob intervenção, RJ tem maior número de mortos por policiais em 16 anos

Foram 1.444 vítimas em 2018 até novembro, o equivalente a uma morte a cada 5 horas e meia

Sob intervenção, RJ tem maior número de mortos por policiais em 16 anos
Notícias ao Minuto Brasil

18:15 - 18/12/18 por Folhapress

Justiça Levantamento

O estado do Rio de Janeiro registrou o maior número de mortes por policiais em 16 anos, desde o início da série histórica, mesmo antes de o ano acabar. Foram 1.444 vítimas em 2018 até novembro, o equivalente a uma morte a cada 5 horas e meia.

A letalidade policial mais alta até então era de 2007 (1.330), um ano antes do início do início das UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora). O programa, implantado pelo então governador Sérgio Cabral (MDB), tinha como fundamento a parceria entre Polícia Militar e população.

O recorde anual foi registrado ainda sem os dados de dezembro, que devem puxar o número para um patamar acima de 1.500, segundo informações divulgadas nesta terça (18) pelo Instituto de Segurança Pública (ISP), autarquia ligada ao governo estadual.

+ Homem ateia fogo em morador de rua após acusá-lo de roubo em SP; vídeo

+ Justiça de Goiás nega habeas corpus a João de Deus, diz defesa

A segurança do RJ está sob intervenção federal desde 14 de fevereiro, quando as polícias, os bombeiros e o sistema prisional passaram a ser responsabilidade da União, sob o comando do general Walter Souza Braga Netto. A medida foi decretada pelo presidente Michel Temer (MDB) e vai até 31 de dezembro.

A curva das mortes em confronto é um "U": elas sofreram uma queda acentuada a partir de 2008, quando as UPPs começam a ser implantadas, e atingiram seu menor número em 2013, quando 416 pessoas foram mortas pela polícia. A partir de 2014, porém, os índices voltaram a subir e a credibilidade do programa, a cair.

O crescimento é ininterrupto desde aquele ano, e o número mais do que triplicou de lá para cá. Comparando com o ano passado, a alta foi de 28% considerando o ano inteiro e de 38% considerando períodos equivalentes (de janeiro a novembro).

Ainda segundo os dados do ISP, as vítimas mais recorrentes de mortes por policiais no ano passado eram homens (97%), pardos e negros (77%) e jovens de 18 a 29 anos (35%). Com informações da Folhapress.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório