Meteorologia

  • 16 JANEIRO 2019
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Um mês após ataque em catedral, polícia ouve último sobrevivente

O inquérito foi prorrogado por mais 30 dias

Um mês após ataque em catedral, polícia ouve último sobrevivente
Notícias ao Minuto Brasil

07:53 - 11/01/19 por Notícias Ao Minuto

Justiça campinas

Um mês após o ataque na Catedral de Campinas (SP), em dezembro passado, que acabou na morte de cinco pessoas, a Polícia Civil decidiu prorrogar o inquérito que investiga a motivação do crime. A origem da arma usada pelo autor da chacina, Euler Fernando Grandolpho, também é alvo de investigação. Nesta sexta-feira (11), o último sobrevivente do atentado vai prestar depoimento. A corporação também aguarda a conclusão dos laudos periciais.

"Vamos ouvir a vítima, reiterar a urgência no encaminhamento dos laudos faltantes e pedir a dilação do prazo ao juiz por mais 30 dias", afirmou, em entrevista à EPTV, o diretor do Departamento de Polícia Judiciário de São Paulo Interior (Deinter 2) e chefe da Polícia Civil em Campinas, José Henrique Ventura.

+ Vídeo mostra momento em que atirador abre fogo durante missa

+ Atirador de Campinas mencionou massacres em diário

+ Homem salvou mãe antes de morrer em ataque na Catedral de Campinas

Ele ainda acrescentou que o inquérito está "quase finalizado" e que a prorrogação aconteceu porque a última testemunha precisou passar por cirurgia para a retirada de uma bala e não pôde falar antes.

Notícias ao Minuto                            Vídeo mostra momento em que atirador invade missa e começa a atirar

Entenda o caso

Cinco homens foram mortos e outras quatro pessoas foram feridas por um atirador na Catedral Metropolitana de Campinas (SP) no início da tarde do dia 11 de dezembro). O criminoso, identificado como Euler Fernando Grandolpho, 49, entrou na igreja, sentou-se entre os fiéis e passou a disparar contra os presentes logo após o final da missa. Ele cometeu suicídio após os tiros.

LEIA TAMBÉM: Imprensa internacional destaca ataque que deixou 5 mortos em Campinas

+ Mulher conversou com atirador minutos antes da chacina em catedral

+ Primeiros policiais a entrar na catedral narram ação em Campinas

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório