Meteorologia

  • 19 OUTUBRO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Médico conhecido como Doutor Bumbum deixa prisão no Rio

Denis Furtado foi beneficiado por um habeas corpus concedido por desembargadores da 7ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio

Médico conhecido como Doutor Bumbum deixa prisão no Rio
Notícias ao Minuto Brasil

20:31 - 30/01/19 por Notícias Ao Minuto

Justiça Liberdade

Após ficar mais de seis meses detido, o médico Denis Cezar Barros Furtado, conhecido como Doutor Bumbum, deixou o presídio Pedrolino Werling de Oliveira (Bangu 8), no Complexo Penitenciário de Gericinó, no fim da tarde desta quarta-feira (30). O médico foi beneficiado por um habeas corpus concedido por unanimidade pelos desembargadores da 7ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

Denis estava preso preventivamente desde o dia 19 de julho do ano passado, acusado de ser o responsável pela morte da bancária Lilian Calixto de Lima Jamberci, de 46 anos, que saiu de Cuiabá para fazer uma bioplastia nos glúteos. A cirurgia foi feita na cobertura do médico na Barra da Tijuca. Horas depois após de fazer o preenchimento estético, a bancária passou mal e morreu no Hospital BarraDd’Or, após sofrer quatro paradas cardiorrespiratórias. Lilian teve complicações e foi socorrida pelo próprio Denis. Ele a deixou na unidade de saúde e fugiu em seguida, sendo preso dias depois.

+ Casal acusado de tentar matar jovem por ciúmes sorri na delegacia

+ Sargento é morto a tiros na Baixada Fluminense

Na decisão desta quarta-feira, os magistrados resolveram substituir a prisão por medidas cautelares, como a proibição de deixar o Rio de Janeiro sem autorização da Justiça e de sair de casa à noite. O médico também deverá se apresentar periodicamente à Justiça e não poderá manter contato com outros investigados no caso.

O Doutor Bumbum responde por homicídio doloso duplamente qualificado e associação criminosa. Também são réus no processo a mãe dele, Maria de Fátima Barros Furtado, que também é médica; a secretária Renata Fernandes e a técnica de enfermagem Rosilane Pereira da Silva. Com informações da Agência Brasil. 

Leia também: Motorista mata médica e finge ser a vítima por 2 meses no WhatsApp

Campo obrigatório