Meteorologia

  • 19 OUTUBRO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Após liberdade, Doutor Bumbum posta texto sobre vítima: 'Uma amiga'

Lilian Calixto de Lima morreu um dia após se submeter a um procedimento com o Doutor Bumbum

Após liberdade, Doutor Bumbum posta texto sobre vítima: 'Uma amiga'
Notícias ao Minuto Brasil

07:15 - 01/02/19 por Notícias Ao Minuto

Justiça Liberdade

O médico Denis Cezar Barros Furtado, conhecido como Doutor Bumbum, deixou a prisão na quarta-feira (30) e publicou um texto nas redes sociais no qual se refere à bancária Lilian Quezia Calixto de Lima Jamberci, de 46 anos, como "amiga".

Denis foi preso suspeito de envolvimento com a morta da paciente. Ela foi submetida a um procedimento de aplicação da substância PMMA — um derivado de acrílico — nos glúteos, um dia antes de morrer.

"A perda irreparável de uma mãe, filha e esposa, e para mim uma amiga, jamais será reparada, porém agora a família poderá buscar o que deseja, justiça verdadeira", diz o trecho final do texto publicado por Doutor Bumbum.

Casal acusado de tentar matar jovem por ciúmes sorri na delegacia

Filho de vítima do Dr. Bumbum defende criação de lei com nome da mãe

O médico diz ainda ter "finalmente a oportunidade de esclarecer ponto a ponto o caso Lilian Calixto, de uma forma mais objetiva". Ele destaca que pretende falar mais sobre o processo nos próximos dias.

Ver esta publicação no Instagram

Após a decisão unânime da câmara de desembargadores do Rio de Janeiro atestando minha inocência e liberdade, tenho finalmente a oportunidade de esclarecer ponto a ponto o caso Lilian Calixto, de uma forma mais objetiva do que a descrita em meu novo livro "a história do Dr Bumbum", onde relato além do caso em pauta, as experiências em mais de 21 anos de Saúde e Beleza. Inicialmente copio a matéria publicada no jornal Extra e O Globo além de fotos dos laudos, mas ao decorrer dos dias terei a oportunidade de esclarecer outros pontos que todos merecem saber, sempre baseados em documentos e fotos inclusos no processo. No último dia 15, um laudo baseado nos exames da paciente realizados em seu atendimento no hospital, foi apresentado à Justiça. De acordo com o documento, assinado pelo perito Leví Inimá de Miranda, Lilian foi vítima de um “infarto miocárdico agudo”, sem relação com a aplicação de PMMA. No laudo produzido a pedido da defesa, BASEADO NOS EXAMES CONTIDOS NO PROCESSO, o perito afirma de forma incontestável que o diagnóstico de embolia pulmonar é “errado e precipitado”. Com base em exames de sangue e no eletrocardiograma realizados na paciente na entrada no hospital, o perito afirma que “restou caracterizado um infarto miocárdico agudo. E esse infarto jamais foi visto, detectado e diagnosticado ou mesmo tratado pelo hospital. Com os diagnósticos eletrocardiográfico e enzimático, a senhora Lilian tinha de ter sido encaminhada, de imediato, ao Laboratório de Hemodinâmica, para submetê-la a uma angioplastia coronariana para reverter o infarto. Porém, ela ficou o tempo todo em uma sala da emergência” agonizando. Ainda segundo o perito, que será assistente de defesa no processo, “o infarto miocárdico agudo NÃO tem nexo de causalidade com o implante do PMMA em região glútea. Assim, a paciente morreu naquela emergência sem diagnóstico e sem qualquer tratamento para o infarto miocárdico agudo”, inocentando por completo o médico Denis Furtado do óbito, ou de qualquer suposto erro médico de sua parte" A perda irreparável de uma mãe, filha e esposa, e para mim uma amiga, jamais será reparada, porém agora a família poderá buscar o que deseja, JUSTIÇA VERDADEIRA!

Uma publicação partilhada por Dr. Denis Furtado (@drdenisfurtado) a 31 de Jan, 2019 às 3:32 PST

Doutor Bumbum ficou cerca de seis meses preso no Complexo Penitenciário Bangu 8, na Zona Oeste do Rio. Desembargadores da 7ª Câmara Criminal do Rio de Janeiro decidiram coloca-lo em liberdade.

Campo obrigatório