Meteorologia

  • 27 MAIO 2022
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

E depois da Covid? Nove efeitos embaraçosos e raros que podem persistir

É o que dizem os especialistas.

E depois da Covid? Nove efeitos embaraçosos e raros que podem persistir
Notícias ao Minuto Brasil

11:30 - 17/01/22 por Notícias ao Minuto Brasil

Lifestyle Coronavírus

Os cientistas acreditam que a Covid-19 deixa um rastro de consequências, algumas insólitas, que se prolongam no tempo. Os efeitos a longo prazo não são os mesmos em todos e, para já, não se sabe se quando ou se alguma destas sequelas desaparecem por completo.

Para que não se perca na infinidade de estudos científicos sobre o tema, o jornal The Sun reuniu nove sequelas nos corpos e vidas de quem se recuperou da doença. Estes efeitos podem manifestar-se durante semanas ou até meses depois da infecção - a chamada Covid persistente. Veja abaixo:

1- Eructação (arroto)

Um estudo publicado na Lancet aponta que 44% dos doentes internados na China com Covid-19 ainda apresentam problemas de estômago três meses após a alta médica. Dos 117 indivíduos estudados, um em cada 10 arrota com mais frequência depois da infecção. 

A antiga concorrente a Miss Universo Olivia Molly Rogers, recorde-se, revelou que, quando esteve infectada, não conseguia parar de arrotar.  

2- Diarreia 

A Zoe Covid Study, aplicativo para smartphone lançado pela 'startup' Zoe Limited e o King's College de Londres, concluiu que a Covid-19 pode provocar diarreia e que a probabilidade de sofrer desta consequência aumenta com a idade. Os dados disponíveis mostram que afeta 10% das crianças e 30% dos adultos com mais de 35 anos.

Os cientistas acreditam que a diarreia é um sintoma precoce de Covid. Manifesta-se no primeiro dia de infecção e intensifica-se durante a primeira semana. 

Investigações na China revelam que 15% dos doentes hospitalizados sofreram de diarreia durante a recuperação.

3- Problemas sexuais

Um estudo da King's College University, no Reino Unido, que envolveu 3400 pessoas que haviam estado infectadas ou com suspeitas de Covid, sugere que 14,6% dos homens e 8% das mulheres demonstram sinais de disfunção sexual após a doença. 

Médicos urologistas de Miami, nos Estados Unidos, detectaram coronavírus nos pênis de dois homens que apresentavam disfunção erétil logo após a infecção. 

4- Diminuição do órgão sexual

Recentemente, um norte-americano relatou no 'podcast' “How to Do It” que o seu pênis encolheu cerca de 3,8 centímetros, devido a danos vasculares que sofreu após ter contraído o vírus. O homem sofre agora de disfunção erétil.

5- Suores

Acorda suando? Os suores noturnos têm sido um dos sintomas relatados pelas pessoas infectadas pela variante Ômicron do novo coronavírus.

6- Alterações de humor 

O King's College, no Reino Unido, adianta ainda que um quarto das pessoas experiencia sentimentos de raiva durante e após a infecção. E não é tudo. 7,4% notam agressividade e mais de metade dos inquiridos consideram que estão irritáveis.

7- Roncar

O mesmo estudo revela que a roncopatia afeta 7,1% dos infectados com Covid-19. 

8- Conjuntivite 

Um estudo, publicado na BMJ Open Ophthalmology, descobriu que 17% de 83 infetados tinham comichão nos olhos e 16% apresentavam dor. Contudo, de acordo com o estudo do King's Colleg, cerca de 15% das pessoas apresentavam conjuntivite.

9- Incontinência

Cientistas da University Beaumont School of Medicine, nos Estados Unidos, revelam que, de um total de 65 doentes com alta hospitalar, 46 - a maioria na faixa etária dos 60 anos - apresentam sinais de incontinência. 

Já o estudo do King's College revela que 14,1% das pessoas têm "problemas em controlar a bexiga".

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Brasil Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório