Meteorologia

  • 15 AGOSTO 2022
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Incontinência fecal, a "epidemia silenciosa" da qual pouco se fala

O diagnóstico muda vidas. A incapacidade de controlar a emissão de gases ou fezes é o principal sintoma.

Incontinência fecal, a "epidemia silenciosa" da qual pouco se fala
Notícias ao Minuto Brasil

07:40 - 24/06/22 por Notícias ao Minuto Brasil

Lifestyle Entrevista

Imagine-se correndo para o banheiro a todo o instante, mas nunca chegar a tempo. A incontinência fecal afeta cerca de 2% da população mundial, sobretudo a feminina, sendo o trauma obstétrico o motivo mais frequente. No entanto, é um tema tabu do qual pouco ou nada se fala.

À incapacidade de controlar a emissão de gases ou fezes, soma-se a vergonha, que faz com que muitos sofram em silêncio, enquanto os sintomas vão roubando qualidade de vida. Tanto que há doentes que nem recorrem a ajuda médica.

Porém, hoje já "existem tratamentos que podem melhorar substancialmente o grau de continência, minimizando o problema", afirma António Manso, coordenador do Centro de Referência do Câncer do Reto do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, em entrevista ao Lifestyle ao Minuto, a propósito da Semana da Continência. Quando os poucos medicamentos existentes ou a reabilitação do pavimento pélvico falham, é necessário adotar outros tipos de tratamento, como a estimulação das raízes sagradas, através de neuromodulação. Com provas dadas, é para muitos o início de uma nova vida.

É uma epidemia silenciosa com poucos doentes a procurarem ajuda

O que é a incontinência fecal?

Trata-se da perda involuntária de fezes líquidas ou sólidas com uma regularidade mensal.

É o mesmo que diarreia?

Pode haver incontinência fecal nos episódios de diarreia, pelo que não pode ser considerada uma patologia independente se associada a diarreia crónica (mais de cinco dejeções líquidas diárias).

Quais os fatores de risco?

Sobretudo ser do sexo feminino e ter uma idade superior a 70 anos.

Há forma de evitá-la?

Não. A única forma de prevenção é evitando o trauma obstétrico.

O tratamento mais eficaz é, de longe, a estimulação nervosa sagrada, com taxas de sucesso superiores a 70%

Quais as principais implicações na qualidade de vida dos doentes?

O impacto na qualidade de vida é variável e nem sempre está associado ao número de episódios de incontinência, mas este pode ser severo.

Existe cura?

Existem tratamentos que podem melhorar substancialmente o grau de continência, minimizando o problema. É difícil falar em cura dentro do significado estrito da palavra.

Quais os tratamentos ? E qual aquele com a taxa de sucesso mais elevada ?

O tratamento mais eficaz é, de longe, a estimulação nervosa sagrada, com taxas de sucesso superiores a 70%. Além da plastia do esfíncter anal, em caso de lesões graves, todos os outros tratamentos, como a graciloplastia ou esfíncter anal artificial, vieram a perder terreno ao longo dos anos e foram descontinuados ou têm uma aplicação limitada.

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Brasil Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório