Meteorologia

  • 24 OUTUBRO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Saiba como identificar os sinais de um relacionamento abusivo

Ministério Público de São Paulo e Microsoft lançaram a cartilha #NamoroLegal com dicas para evitar um parceiro tóxico

Saiba como identificar os sinais de um relacionamento abusivo - Ofensas, xingamentos, constrangimentos, perseguições... Relacionamentos abusivos são mais comuns do que se pensa! E é preciso ficar alerta: o assédio moral e a pressão psicológica também têm um impacto profundo e não podem ser menosprezados ou considerados 'normais'. Até porque, esse tipo de comportamento pode evoluir para casos de violência física. Muitas pessoas sofrem em silêncio com relacionamentos desse tipo, dos quais não conseguem sair por medo dos parceiros, dependência ou até por vergonha de se expor e de serem julgadas. Felizmente esse problema já vem sendo tratado com maior abertura e seriedade pelas autoridades e pela mídia. Há cada vez mais informação sobre como identificar uma relação do gênero e onde buscar ajuda.  O fato de algumas celebridades já terem sido vítimas de companheiros agressivos e falarem publicamente sobre o assunto também tem ajudado a combater o estigma. As meninas sofrem mais As mulheres jovens são o grupo mais vulnerável. No Brasil, 42% das mulheres entre 16 e 24 anos sofreram violência em 2018, de acordo com a Pesquisa Visível e Invisível 2019, promovida pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Com o objetivo de abrir os olhos de muitas vítimas de relacionamentos abusivos, o Ministério Público de São Paulo lançou a cartilha #NamoroLegal, que tem o apoio da Microsoft e traz dicas simples, mas importantes, que vão desde como detectar comportamentos tóxicos a o que fazer quando o parceiro é controlador. Na galeria, conheça os sinais de alerta de um relacionamento abusivo, de acordo com o guia #NamoroLegal.

Notícias ao Minuto Brasil

21:00 - 29/06/19 por Notícias Ao Minuto

Lifestyle tóxicos

Ofensas, xingamentos, constrangimentos, perseguições... Relacionamentos abusivos são mais comuns do que se pensa! E é preciso ficar alerta: o assédio moral e a pressão psicológica também têm um impacto profundo e não podem ser menosprezados ou considerados 'normais'. Até porque, esse tipo de comportamento pode evoluir para casos de violência física.

Muitas pessoas sofrem em silêncio com relacionamentos desse tipo, dos quais não conseguem sair por medo dos parceiros, dependência ou até por vergonha de se expor e de serem julgadas. Felizmente esse problema já vem sendo tratado com maior abertura e seriedade pelas autoridades e pela mídia.

Há cada vez mais informação sobre como identificar uma relação do gênero e onde buscar ajuda. O fato de algumas celebridades já terem sido vítimas de companheiros agressivos e falarem publicamente sobre o assunto também tem ajudado a combater o estigma.

As meninas sofrem mais

As mulheres jovens são o grupo mais vulnerável. No Brasil, 42% das mulheres entre 16 e 24 anos sofreram violência em 2018, de acordo com a Pesquisa Visível e Invisível 2019, promovida pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Com o objetivo de abrir os olhos de muitas vítimas de relacionamentos abusivos, o Ministério Público de São Paulo lançou a cartilha #NamoroLegal, que tem o apoio da Microsoft e traz dicas simples, mas importantes, que vão desde como detectar comportamentos tóxicos a o que fazer quando o parceiro é controlador.

Na galeria, conheça os sinais de alerta de um relacionamento abusivo, de acordo com o guia #NamoroLegal.

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Brasil Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório