Meteorologia

  • 17 OUTUBRO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Nicolás Maduro acusa ONU de não cumprir com a ajuda prometida

"Prometeram vilas e castelos, uma suposta ajuda humanitária, e nem um copo de água chegou", disse o presidente

Nicolás Maduro acusa ONU de não cumprir com a ajuda prometida
Notícias ao Minuto Brasil

06:40 - 04/10/19 por Notícias Ao Minuto

Mundo Venezuela

O Presidente Nicolás Maduro acusou a Organização das Nações Unidas (ONU) de não prestar a ajuda prometida à Venezuela, agradecendo no entanto o apoio da Organização Pan-americana da Saúde e da Organização Mundial da Saúde, que pertencem ao órgão.

"Prometeram vilas e castelos, uma suposta ajuda humanitária, e nem um copo de água chegou. À Organização das Nações Unidas dizemos, desde a Venezuela: Foi puro barulho (show), para fazer campanha e propaganda contra a Venezuela", disse Nicolás Maduro.

O Presidente Nicolás Maduro falava, quinta-feira, em La Guaira (25 quilômetros a norte de Caracas) na reinauguração do Centro Oftalmológico Missão Milagre La Guaira. "Mas quando lhe dizemos que vamos coordenar (ações), que vamos fazer isto ou aquilo, nada, nada, de nada", continuou.

No entanto agradeceu a cooperação que mantêm com hospitais venezuelanos a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização Pan-americana da Saúde (OPS), que fazem parte do sistema internacional da ONU. "Toda a ajuda que a OPS e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) dão, de verdade chega ao povo", frisou.

Nicolás Maduro explicou que o seu Governo esforça-se constantemente para garantir saúde aos venezuelanos, "de qualidade, pública e universal". "O fazemos pela vida, pelo bem-estar das pessoas. Não há uma coisa mais importante que a saúde", disse.

Por outro lado, voltou a acusar os Estados Unidos de estarem a estrangular economicamente a Venezuela e de bloquearem os recursos do país com sanções unilaterais.

"A Venezuela é um país perseguido, desde o ponto de vista financeiro, sancionado ilegal e unilateralmente pelo Governo dos EUA. Roubaram-nos 30 bilhões de dólares (cerca de 130 bilhões de reais) que estavam em contas no estrangeiro", acusou.

Segundo Nicolás Madurou os EUA "roubaram" ainda "a empresa Citgo (filial norte-americana da PDVSA, a petrolífera estatal venezuelana) e o ouro" do país.

"A pesar de toda essa guerra econômica e sanções, não temos deixado de investir os dólares que temos, os euros, os petros (criptomoeda venezuelana) e os iuanes, em equipamentos da mais alta tecnologia mundial, para fazê-la chegar ao povo, sem discriminação de nenhum tipo", disse.

Campo obrigatório