Meteorologia

  • 20 SETEMBRO 2020
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Jovem morre com o mesmo cancêr do pai. Médicos ignoraram sintomas

Menina de 15 anos só foi diagnosticada com gliobastoma um ano depois de começar com sintomas

Jovem morre com o mesmo cancêr do pai. Médicos ignoraram sintomas
Notícias ao Minuto Brasil

23:00 - 10/02/20 por Notícias Ao Minuto

Mundo Negligência

Uma menina de 15 anos morreu, na Escócia, com o mesmo cancêr que o pai, depois de os médicos terem desvalorizado os sintomas da doença por acharem que se tratava de “tristeza” pela morte do progenitor.

De acordo com o jornal Mirror, Alana Finlayson morreu com um gliobastoma, um cancro agressivo no cérebro, cerca de um ano e meio depois do pai.

A mãe de Alana, Linda, conta agora a história da filha para que este tipo de negligência não volte a acontecer a nenhuma família e lança duras críticas aos médicos do hospital pediátrico de Glasgow.

“Alguns médicos foram tão arrogantes. Se eles nos tivessem ouvido eu ainda tinha a Alana comigo, mas eles deixaram a doença avançar.

Quando a doença foi finalmente diagnosticada, a adolescente já só tinha oito semanas de vida.

Alana começou a ter sintomas apenas três semanas após a morte de Paul, a 11 de outubro de 2017. No início, também a família pensou que as mudanças de comportamento da jovem se deviam ao processo de luto. Contudo, além das crises humor e de ódio, a menina começou a ter muitas dores nas pernas e na anca e Linda reparou que se passava algo mais grave.

A partir daí a luta começou a ser com os médicos. Alguns sugeriram até que Alana usava calças demasiado apertadas e que, por isso, tinha dores.

Alana começou assim a perder peso, a ver mal, a ter dores de cabeça, no pescoço e náuseas. Só após um ano de sucessivas visitas ao hospital e de ter feito vários exames é que os médicos perceberam que, afinal, a jovem sofria do mesmo cancro que o pai e, aí, já era tarde demais. Alana morreu em maio de 2019.

Ainda segundo o Mirror, o hospital já iniciou uma investigação interna para saber o que realmente aconteceu.

Campo obrigatório