Meteorologia

  • 24 JUNHO 2021
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

OMS investiga a relação entre vacina da AstraZeneca e coágulos

A organização esclareceu que, "até ao momento", não encontrou uma correlação entre a vacina e os casos de coágulos sanguíneos perigosos que foram detectados

OMS investiga a relação entre vacina da AstraZeneca e coágulos

A suspensão do uso da vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela AstraZeneca em conjunto com a Universidade de Oxford num número crescente de países europeus, e após relatos de casos de casos de coágulos sanguíneos perigosos em pessoas que foram inoculadas com o fármaco, foi o tema central da conferência de imprensa desta segunda-feira da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Mais países suspenderam o uso da vacina da AstraZeneca. Estamos revendo os dados disponíveis com vários organismos, como a Agência Europeia do Medicamento (EMA)”, afirmou Tedros Adhanom Ghebreyesus, o diretor-geral da OMS.

A OMS acrescentou que está analisando estas notícias sobre os casos de coágulos sanguíneos, mas também de “outros efeitos”.

“ Nesta terça-feira os especialistas da segurança de vacinas vão se reunir para analisarem os dados disponíveis e realizarem uma investigação mais a fundo, embora não pareça haver mais casos de tromboses”, referiu Mariângela Simão, a subdiretora-geral do departamento de acesso a medicamentos, vacinas e produtos farmacêuticos da OMS.

Questionada sobre se estas notícias que têm vindo a público relacionadas com a vacina da AstraZeneca podem provocar medo na população, a chefe dos cientistas da OMS, Soumya Swaminathan, insiste que “até ao momento não foi encontrada uma relação entre a vacina e os casos de trombose detectados”.

As taxas de tromboses entre os vacinados são mais baixas inclusive do que entre a população em geral”, frisou, lembrando ainda que “nenhum medicamento é 100% seguro, mas há que ter em conta os benefícios de vacinar a população contra uma enfermidade que sabemos que está matando milhões de pessoas em todo o mundo”.

Esta é uma posição semelhante partilhada  pela EMA, que também sublinhou que “os benefícios” da vacina da AstraZeneca contra a Covid-19 “superam os riscos de efeitos secundários”.  O regulador europeu admitiu estar realizando uma “análise rigorosa” aos casos de formação de coágulos sanguíneos em vacinados.

Nesta segunda-feira, Alemanha, França, Itália e Espanha também anunciaram a suspensão do uso da vacina da AstraZeneca, juntando-se a uma lista que já incluía a Áustria, a Noruega, a Dinamarca, o Luxemburgo, a Estônia, a Letônia e a Lituânia. 

Campo obrigatório