Meteorologia

  • 26 OUTUBRO 2021
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Ex-chanceler Ernesto Araújo tira licença remunerada de 90 dias do Itamaraty

A licença começará a valer em 2 de junho, e Ernesto receberá remuneração durante o período

Ex-chanceler Ernesto Araújo tira licença remunerada de 90 dias do Itamaraty
Notícias ao Minuto Brasil

07:24 - 25/05/21 por Folhapress

Política Ernesto Araújo

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O ex-ministro Ernesto Araújo (Relações Exteriores) deve tirar uma licença-prêmio pelo período de 90 dias, segundo boletim interno do Itamaraty.
A licença começará a valer em 2 de junho, e Ernesto receberá remuneração durante o período.

Expoente da ala ideológica do governo, ele foi substituído no comando da chancelaria pelo também diplomata Carlos França, em 29 de março.

O ex-chanceler perdeu o posto após entrar em choque com o Senado Federal, mas também enfrentava resistências no empresariado, em setores militares e entre lideranças do agronegócio.

O desgaste com o Congresso foi tão grande que a senadora Kátia Abreu (PP-TO), presidente da Comissão de Relações Exteriores, declarou que jamais colocaria em votação a indicação de Ernesto para qualquer embaixada.

Diante disso, a situação de Ernesto converteu-se num problema para França. O ex-ministro assumiu um cargo na área administrativa do Itamaraty e passou a realizar publicações nas redes sociais, algumas delas com discordâncias em relação ao trabalho do novo chanceler.

Com o veto do Senado, uma das possibilidades levantadas por interlocutores é a designação de Ernesto para um posto no exterior que não demande aval do Parlamento -como a chefia de um consulado ou a representação do Brasil junto à OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico).

Na semana passada, o ex-ministro foi ouvido na CPI da Covid.

Ele confirmou que mobilizou a estrutura do Ministério das Relações Exteriores para a compra da hidroxicloroquina e afirmou que o processo contou com a atuação de Bolsonaro.
Ernesto também dissimulou sobre seus atritos com a China, país fornecedor de matéria-prima para a fabricação de vacinas, e os ataques que ele próprio desferiu ao país asiático.

O ex-chanceler, no entanto, preservou o presidente da República em seu depoimento.

Procurado, o Itamaraty disse que Ernesto "tem direito a 90 dias de licença-prêmio por assiduidade, adquiridos na forma da Lei no. 8.112/90, referentes ao quinquênio de 1990 a 1995".
"Servidores em gozo de licença-prêmio por assiduidade recebem apenas a remuneração do cargo efetivo, nos termos da lei", diz a nota.

Campo obrigatório