Meteorologia

  • 16 JUNHO 2021
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

'Perdemos agora o Peru', diz Bolsonaro sobre provável eleição de Castillo

Em um culto, Bolsonaro disse que "só um milagre" para reverter a vitória de Castillo e o chamou de "um cara do Foro de São Paulo"

'Perdemos agora o Peru', diz Bolsonaro sobre provável eleição de Castillo
Notícias ao Minuto Brasil

20:41 - 09/06/21 por Folhapress

Mundo BOLSONARO-PERU

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) criticou, nesta quarta-feira (9), o provável novo presidente do Peru, Pedro Castillo, que lidera a contagem de votos nas eleições no país vizinho.

Em um culto, Bolsonaro disse que "só um milagre" para reverter a vitória de Castillo e o chamou de "um cara do Foro de São Paulo".

"Perdemos agora o Peru. Voltou, pelo que tudo indica –falta 1% de apuração lá, só um milagre para reverter– vai reassumir um cara do Foro de São Paulo. Olha a nova Constituição do Chile. Nós estivemos na beira do abismo", disse o presidente em Anápolis (GO).

O Foro de São Paulo é uma organização que reúne partidos de esquerda da América Latina e atualmente é demonizada pela direita ligada a Bolsonaro.

Castillo declarou-se vencedor da eleição na noite desta terça. Da varanda do comitê de seu partido, o Perú Libre, no centro de Lima, o candidato de esquerda afirmou que o "povo falou" e que, "de acordo com o relatório de nossos fiscais, já temos o resultado".

"Vimos que o povo impôs essa vitória por meio das urnas. Por isso, peço a vocês para não caírem em provocações."

Com 99,82% das urnas contabilizadas, a vitória de Castillo parece irreversível, já que ele ostenta 50,2% dos votos, enquanto Keiko Fujimori, de direita e filha do autocrata Alberto Fujimori, tem 49,8%. Ainda assim, o Júri Nacional de Eleições não fez nenhum pronunciamento oficial confirmando o resultado e espera a chegada de votos depositados no exterior, de países como Chile e Brasil.

Apesar de os votos no exterior favorecerem Keiko, apenas uma parcela deles ainda depende de computação, o que torna improvável uma virada.

Ao mencionar a constituinte no Chile, Bolsonaro fez referência à derrota de candidatos da direita no pleito no país, que conquistaram menos de um terço dos assentos.

Nesta quarta em Anápolis, Bolsonaro também criticou os governos de esquerda na Venezuela e na Argentina, embora não tenha citado os líderes dos dois países nominalmente.

A Venezuela é governada pelo ditador chavista Nicolás Maduro, enquanto a Argentina é presidida pelo peronista Alberto Fernández.

Os dois governantes já foram criticados em outras ocasiões por Bolsonaro.

"Olha para onde foi a nossa Venezuela quando se começou a acreditar nas coisas fáceis. Um país riquíssimo, como a Venezuela, em petróleo e ouro. Olha para onde eles foram, tendo em vista a ideologia que seguiram. Olhem para onde esta indo a nossa Argentina, só uma milagre para salvar a Argentina", disse.

Campo obrigatório