Meteorologia

  • 08 JULHO 2020
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Imagens inéditas mostram navio argentino pouco antes de desaparecer

O ARA San Juan desapareceu quando se dirigia para Mar del Plata, com 44 membros da tripulação a bordo, no dia 15 de novembro de 2017.

Notícias ao Minuto Brasil

04:32 - 28/03/18 por Notícias Ao Minuto

Mundo Vídeo

São várias as versões sobre a verdadeira missão do submarino argentino desaparecido ARA San Juan. Nesta terça-feira (27), na Internet surgiu um vídeo que mostra o envolvimento do San Juan das manobras militares da Marinha argentina.

Nas imagens acima pode-se observar que o submarino participa no afundamento do navio ARA Commodore Somellera, o que aumenta as suspeitas sobre os verdadeiros objetivos no momento de seu desaparecimento no mês de novembro.

Segundo o jornal Clarín, o Commodore Somellera, já descomissionado, foi afundado por meio de mísseis e de minas disparadas por uma unidade do Agrupamento de Mergulhadores Táticos. A operação, que envolveu corvetas, lanchas de patrulha, navios e aviões, era uma missão de treinamento militar.

Tratou-se de uma ação realizada em meio de uma operação confidencial em uma área chamada de "ponto vermelho" pela Marinha argentina, que está localizada perto da Ilha dos Estados, frente à Terra do Fogo. 

Espionagem e Malvinas

Quatro meses depois do ARA San Juan ter desaparecido, o governo da Argentina reconheceu que o submarino estivera envolvido em tarefas de espionagem, vigiando as atividades da frota britânica baseada nas Ilhas Malvinas.

No dia 19 de março, essa informação foi ampliada quando vários veículos da mídia argentinos apontaram que o navio tinha navegado a poucos quilômetros do arquipélago disputado entre a Argentina e o Reino Unido. Isso envolveria violações de "todos os tratados assinados, como o de Madri" entre os dois países "após a guerra de 1982", afirmou Carlos Zavalla, ex-comandante do ARA San Juan, em um diálogo com a edição La Nación.

No entanto, a Marinha da Argentina desmentiu essas últimas informações. Com informações do Sputnik Brasil.

 

Campo obrigatório