Meteorologia

  • 22 OUTUBRO 2018
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Palestinos fazem 'Marcha do Retorno' após massacre em Gaza

Pelo menos 60 pessoas morreram e 2,4 mil ficaram feridas ontem

Palestinos fazem 'Marcha do Retorno' após massacre em Gaza
Notícias ao Minuto Brasil

07:59 - 15/05/18 por ANSA

Mundo Confrontos

Depois de uma banho de sangue na Faixa de Gaza, no qual 60 pessoas morreram, milhares de palestinos se reúnem nesta terça-feira (15) para recordar o que chamam de "Nakba" - um deslocamento em massa de palestinos após a criação de Israel em 1948.   

O 70º aniversário da data coincide com os funerais das vítimas morta ontem (15) durante conflitos entre palestinos e o Exército de Israel. Os confrontos marcaram o dia mais letal de violência desde a guerra de 2014. Entre as 60 vítimas que morreram por tiros de militares israelenses, pelo menos oito eram menores de idade.   

+ EUA: babá que esfaqueou crianças é condenada à prisão perpétua

Segundo o Ministério da Saúde de Gaza, até um recém-nascido morreu após inalar gás lacrimogêneo durante a ofensiva.   

Hoje, o Exército de Israel já informou que está se preparando para mais conflitos. Alguns grupos palestinos indicaram que desejam conter os protestos, mas a expectativa é que neste terça haja um novo "massacre". Também estão previstas manifestações na Cisjordânia A escalada de violência desta segunda aconteceu no mesmo dia em que os Estados Unidos inauguraram sua embaixada na cidade de Jerusalém.

O movimento polêmico rompeu com décadas de política internacional e enfureceu os palestinos.Os palestinos reivindicam Jerusalém Oriental como a capital de um futuro Estado palestino, e veem os EUA se mobilizarem para apoiar o controle israelense sobre toda a cidade - que Israel considera sua capital.    De acordo com o Ministério da Saúde de Gaza, pelo menos 2,4 mil palestinos ficaram feridos.   

Ontem (14), o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, também se manifestou e declarou um dia de greve geral pelos mortos no confrontos. Além disso, ele pediu três dias de luto em território palestino fechando todas as lojas, escolas e estabelecimentos da região. Com informações da ANSA.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório