Meteorologia

  • 19 JUNHO 2018
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Macron acusa Itália de 'cinismo' ao barrar migrantes

"Caso Aquarius" abriu crise entre as duas potências da UE

Macron acusa Itália de 'cinismo' ao barrar migrantes
Notícias ao Minuto Brasil

17:16 - 12/06/18 por Ansa

Mundo farpas

O presidente da França, Emmanuel Macron, acusou o governo da Itália de "cinismo e irresponsabilidade" ao fechar seus portos para o navio Aquarius, que navega no Mediterrâneo com 629 migrantes socorridos de botes infláveis.

Segundo o porta-voz do mandatário, Roma tomou a iniciativa de coordenar o resgate no lugar da Guarda Costeira da Líbia, "mas não foi até o fim em sua iniciativa". "Aqui temos uma demonstração de uma forma de cinismo e de uma parte de irresponsabilidade do governo italiano frente a uma situação humanitária dramática", disse.

+ Sequestrador é preso e reféns são libertados em Paris

Já o porta-voz do partido A República em Marcha, fundado por Macron, acrescentou que a posição da Itália no caso "faz vomitar". Além disso, o primeiro-ministro da França, Édouard Philippe, acusou Roma de "não respeitar suas obrigações internacionais".

A resposta a Paris chegou do principal nome do governo italiano, o ministro do Interior Matteo Salvini. "A Espanha quer nos denunciar, a França diz que somos 'vomitáveis'. Eu quero trabalhar serenamente com todos, mas com um princípio: italianos em primeiro lugar", disse.

A Itália acusa a França de fechar seus portos para pessoas resgatadas no Mediterrâneo e de barrar a entrada de imigrantes econômicos. Segundo dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), a França abriga 376,7 mil pessoas com proteção internacional ou solicitantes de refúgio, o que equivale a 0,56% de sua população.

Na Itália, o número de indivíduos nessas condições é de 292.165, ou 0,48% de seu total de habitantes. (ANSA)

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório