Meteorologia

  • 15 DEZEMBRO 2018
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

Turquia tem áudio e vídeo que atestam morte de jornalista em consulado

Jamal Khashoggi era jornalista crítico do regime de Riade do Washington Post

Turquia tem áudio e vídeo que atestam morte de jornalista em consulado
Notícias ao Minuto Brasil

07:44 - 12/10/18 por Lusa

Mundo Jamal Khashoggi

O governo turco informou a responsáveis norte-americanos que tem gravações em vídeo e áudio que provam que o jornalista Jamal Khashoggi foi assassinado no consulado da Arábia Saudita em Istambul, revelou, nesta sexta-feira (12), o Washington Post.

O jornal, do qual o jornalista crítico do regime de Riade era colunista, cita como fontes funcionários norte-americanos a quem os investigadores turcos terão transmitido a informação.

Segundo o relato, as gravações provam que Jamal Khashoggi foi detido no consulado por uma equipe de segurança, que o matou e desmembrou.

+ Alemanha vai extraditar assassino de jornalista búlgara

Desaparecimento

Khashoggi desapareceu no último dia 2 depois de ter entrado no consulado saudita em Istambul para recolher documentos para o seu casamento com uma cidadã turca.

Evidências

O Washington Post destaca, particularmente, na sua página online, uma gravação áudio que "proporciona algumas das provas mais persuasivas e macabras de que a equipe saudita é responsável pela morte de Khashoggi".

"A gravação de voz do interior do consulado expõe o que aconteceu a Jamal depois da sua entrada", disse uma fonte que ouviu a gravação e que não quis revelar a sua identidade devido à natureza "extremamente sensível" da informação.

+ Trump defende continuação da venda de armas à Arábia Saudita

Segundo a mesma fonte, "pode escutar-se como foi interrogado, torturado e depois assassinado".

Na sequência do desaparecimento, amigos do jornalista asseguraram, em declarações à imprensa turca, ter a certeza de que Khashoggi foi assassinado no consulado e que o seu corpo tinha foi esquartejado e retirado do local dentro de malas.

As autoridades turcas não comentam esta tese, que é negada por Riade.

No entanto, o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, pediu às autoridades sauditas provas de que o jornalista saiu do consulado. Com informações da Lusa.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório