Meteorologia

  • 12 NOVEMBRO 2018
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 15º

Edição

EUA revogarão vistos para sauditas após morte de Khashoggi

Jornalista foi assassinado no consulado saudita em Istambul

EUA revogarão vistos para sauditas após morte de Khashoggi
Notícias ao Minuto Brasil

05:47 - 24/10/18 por Ansa

Mundo atitudes drásticas

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, anunciou nesta terça-feira (23) que os Estados Unidos identificaram autoridades sauditas envolvidas no assassinato do jornalista dissidente Jamal Khashoggi e tomarão atitudes drásticas, incluindo a revogação de vistos.

"Essas penalidades não serão a última palavra dos Estados Unidos sobre o tema. Estamos deixando muito claro que nosso país não tolera esse tipo de ação impiedosa para silenciar o senhor Khashoggi, um jornalista, por meio da violência", afirmou Pompeo.

Esta é a primeira medida tomada pelo governo de Donald Trump desde o início do escândalo. Segundo o secretário de Estado, a Casa Branca está "tomando as medidas apropriadas" contra a Arábia Saudita.

No entanto, ele afirmou que seu país continuará a manter uma forte parceria com o reino da Arábia Saudita.

Pompeo, o principal diplomata do governo Trump, ainda disse que alguns dos responsáveis pela morte de Khashoggi estão nos serviços de inteligência da Arábia Saudita, na Corte Real e no Ministério das Relações Exteriores, entre outras agências.

+ Com chuva e morte, caravana de imigrantes avança no México

Pelo menos 21 suspeitos sauditas terão seus vistos revogados ou ficarão inelegíveis para os vistos americanos, segundo a porta-voz do Departamento de Estado, Heather Nauert.

Mais cedo, Trump chegou a declarar que a morte do jornalista no consulado saudita em Istambul conduziu a um dos "piores acobertamentos da história". "Eles tiveram uma ideia muito ruim, para começar. Foi mal executada e o acobertamento foi um dos piores da história", disse.

Além disso, o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, disse que as evidências corroboram as alegações de que o colunistas do Washington Post foi vítima de um "assassinato violento". Khashoggi era dissidente do regime saudita e conhecia segredos da família real.

Segundo a imprensa turca, ele foi torturado e esquartejado após ter ido ao consulado para retirar um certificado de divórcio.

União Europeia A alta representante da União Europeia, Federica Mogherini, afirmou nesta terça-feira (23) que as "explicações oferecidas até agora pelas autoridades sauditas" sobre o assassinato de Khashoggi "deixam muitas dúvidas e perguntas sem respostas".

"Vamos ser firme e estamos empenhados na busca da verdade e que os responsáveis sejam levados à justiça", disse.

"Esperamos que todos possam trabalhar com um objetivo comum: para apurar os fatos. A investigação não deve seguir interesses geopolíticos. Continuaremos a acompanhar o caso, em coordenação com medidas adequadas a nível da UE e os parceiros internacionais", acrescentou. (ANSA)

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório