Meteorologia

  • 20 SETEMBRO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Argentina registra diversos atos em homenagem a Marielle Franco

No dia 14 de março, vários locais públicos amanheceram com placas com o nome da vereadora

Notícias ao Minuto Brasil

09:19 - 16/03/19 por Folhapress

Mundo Crime fez 1 ano

SYLVIA COLOMBO - BUENOS AIRES, ARGENTINA (FOLHAPRESS) - Na semana da efeméride de um ano da morte da vereadora carioca Marielle Franco (1979-2018), grupos de direitos humanos e coletivos argentinos e brasileiros realizaram uma série de homenagens em Buenos Aires.

No dia 14, data de seu assassinato, a cidade amanheceu com placas de rua com o nome de Marielle Franco em vários locais públicos.

+ Primeira-ministra da Nova Zelândia quer restringir armas após atentado

"Escolhemos os mais significativos para brasileiros, como a frente da embaixada, a estação Rio de Janeiro (no bairro de Caballito) e alguns ícones da cidade, como a avenida 9 de Julio e o Congresso", conta à reportagem Renata Benítez, do coletivo Passarinho.

Além das placas, foi lido um manifesto no Obelisco. "Desde a morte dela, estamos conversando com os grupos de direitos humanos locais sobre as bandeiras que ela representa, porque nossa intenção é que sua luta continue, por meio do ativismo", diz Benítez.

Desde o ano passado, tem havido reuniões com os grupos tradicionais de direitos humanos argentinos, como as Mães e as Avós da Praça de Maio. Benítez conta que "não foi preciso explicar muito a importância da Marielle e a tragédia que foi o assassinato dela para que todo mundo aqui entendesse", mas que os argentinos se identificaram principalmente por conta de o fato de ser mulher, negra e de que teria sido "um crime de Estado, e eles estão acostumados a protestar contra isso", disse, em referência aos mortos, torturados e desaparecidos durante a última ditadura militar (1976-1983).

Neste sábado (16), será inaugurado em San José, no município de Lomas de Zamora, na Província de Buenos Aires, um anfiteatro com o nome "Mujeres Latinoamericanas Marielle Franco". O local fica numa praça pública e a inauguração, programada para as 10am contará também com um evento de ativistas de direitos humanos.

Além disso, uma vereadora da cidade de Buenos Aires já entrou com um pedido para que a estação Rio de Janeiro do metrô passe a chamar-se, definitivamente, "estação Rio de Janeiro - Marielle Franco". O projeto irá a votação pelo parlamento local ainda neste semestre.

Campo obrigatório